“não querem perder boquinha” – JORNALIVRE


Rodrigo Maia, presidente da Câmara, tornou a dizer nesta sexta (21) que as reformas do governo Temer são imprescindíveis. Também criticou a legislação fascista que coage o cidadão a pagar o imposto sindical de forma impôrtória. As informações são da Jovem Pan.

“As reformas macro vão garantir uma base importante para que após a gente possa avançar, no segundo semestre do ano que vem, sobre uma agenda micro, aí sim pensando em pontos específicos e outras reformas que são importantes”, disse Maia.

Ele também ironizou a atuação dos sindicatos que lutam para manter a cobrança impôrtória sobre o lombo dos trabalhadores.

“Os sindicatos não querem perder, boa parte deles, a sua boquinha. Não querem perder aquilo que eles conquistam sem nenhum esforço, que é o imposto sindical, em vez de ser uma contribuição espontânea, que também tem previsão legal. Então é legítimo que eles estejam se mobilizando para lutar também pelo que eles acreditam, não necessariamente um pensamento divergente ou equivocado”.

 



Fonte: Jornal Livre