Lojistas estimam queda de 8% no faturamento do Dia das Mães deste ano, aponta FecomercioSP


Após quatro anos de queda nas vendas ou de desempenho muito fraco no Dia das Mães, os lojistas paulistanos seguem pessimistas com a data neste ano. De acordo com a sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com 100 lojistas da cidade de São Paulo nos dias 8 e 9 de maio, a maioria acredita que a data será pior do que no ano passado, com perdas de 8% no faturamento.

Mesmo com a estimativa da Federação de aumento de até 5% nas vendas do varejo no mês de maio, a sondagem revela que esse movimento de alta pode não ser motivado pela data especial. De acordo com a FecomercioSP, o consumidor também está cada vez mais racional após uma forte restrição orçamentária da crise e do desemprego e esse novo consumidor está mais atento às promoções, menos afeito ao apelo das datas e ainda pouco propenso a se endividar. A Entidade aponta, ainda, que é possível imaginar que a sazonalidade de alguns meses, puxada pelas datas comemorativas, tenda a se reduzir gradativamente.

Na comparação com a sondagem de 2016, os lojistas esperam pelo aumento das vendas à vista, passando dos 34%, em 2016, para 38% neste ano, diante da pouca propensão das famílias em se endividar e, também, do risco de se expandir crédito, seja o crédito direto da loja ou aquele financiado por bancos e financeiras aos clientes de determinadas estabelecimentos. Nas vendas a prazo, a expectativa é que a maioria utilize o cartão de crédito, alcançando os 60%, ante os 62% do ano passado.

Apesar de pessimistas com a data, os empresários estão mais dispostos a fazer promoções (41% deles terão algum tipo de oferta, que normalmente é um desconto especial, alta de 4 p.p. em relação ao ano anterior). Os estoques estão mais ajustados para a data e a contratação de temporários é uma rara exceção (apenas 3% dos entrevistados declararam ter intenção de contratar temporários para a data), ainda menor do que no ano passado (5%).

Em resumo, a FecomercioSP afirma que o bom desempenho projetado para o varejo no mês de maio não deve ser creditado a um aumento expressivo de vendas no dia das mães, uma vez que as expectativas dos lojistas mostram claro pessimismo. A possibilidade de uma performance positiva se deve a uma combinação de fatores específicos que estão marcando o atual processo de normalização do ritmo da atividade varejista.

(Redação – Agência IN)



Fonte: Investimentos e Notícias
www.investimentosenoticias.com.br