Mudança de gestão eleva confiança do mercado na Petrobras


Depois de o governo alternar o modelo de gestão na Petrobras, a companhia começa a se recuperar financeiramente e a reconquistar a confiança do mercado internacional.

Nesse processo, em fevereiro deste ano, a agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) alternou a forma como avaliava a dívida corporativa da companhia de B+ para BB-. A perspectiva para a nota da empresa também melhorou, de negativa para estável.

Essa mudança significa que a Petrobras se tornou mais confiável para investimentos estrangeiros. As agências de classificação de risco dão notas para empresas e países para classificá-los por nível de confiança.

Quanto melhor é essa avaliação, mais recursos e investidores uma empresa é capaz de atrair. Alguns fundos de investimento internacionais têm regras rígidas para investir em países e empresas. Para colocar o dinheiro dos cotistas em um investimento, os gestores têm de achar ativos com uma boa avaliação por parte dessas agências de classificação de risco.

Nos últimos anos, a empresa havia caído em descrédito e enfrentava sérios problemas de caixa. Agora, com governança e gestão modernas e um programa de desinvestimentos que vai melhorar fluxo de caixa da companhia, ela começa a se recuperar.

Confiança na Petrobras

No relatório sobre a Petrobras, a S&P afirmou que a melhora no nível de risco da estatal reflete a evolução da sua liquidez e uma robusta posição de caixa que confere maior capacidade para lidar com possíveis contingências, ou seja, diminuiu os riscos de a companhia não honrar seus compromissos.

A recuperação do relacionamento com bancos domésticos e internacionais e da capacidade da Petrobras acessar o mercado de capitais também foi ressaltada pela agência, que considerou como positivas as operações de gestão da dívida. Também foi destacado o avanço do Programa de Desinvestimentos e as perspectivas para atingir a meta estabelecida para 2017 e 2018.

A Standard & Poor’s também ressaltou o foco em lucratividade pela administração da companhia, a estrutura de capital mais equilibrada e o compromisso com a redução da dívida da empresa, assim como a consistência da nova Política de Preços, medidas que permitem maior previsibilidade para a geração de caixa da Petrobras. As informações são do Portal Brasil.

(Redação – Agência IN)



Fonte: Investimentos e Notícias
www.investimentosenoticias.com.br