a mulher que perseguiu seu sonho e chegou ao topo do mundo


Marta Vieira da Silva nasceu no interior de Alagoas, em Dois Riachos no ano de 1986. Marta é jogadora de futebol e, como a esmagadora maioria das histórias de quem escolhe essa modalidade traz um passado muito difícil, o dela não foi diferente.

Saiu de casa com apenas 14 anos de idade e seguiu sozinha para o Rio de Janeiro. Seu talento era tão notório, que não demorou e a melhor do mundo já estava jogando no futebol profissional e em pouco tempo, na Seleção Brasileira.

Marta_1_800х418

Marta foi campeã da Liga dos Campeões UEFA duas vezes, ganhou várias vezes todas copas e campeonatos da Suécia, além da Libertadores da América e a Copa do Brasil, a Liga de Futebol Feminino nos Estados Unidos, jogos pan-americanos, Copas do Mundo e vários troféus.

Injustiça e preconceito

Nada foi fácil na vida de Marta, mas ela nunca desistiu de seus sonhos. Ela contou a Folha de S.Paulo que sempre sofreu preconceito dentro do Brasil e igualmente nos EUA:

Na Europa e nos Estados Unidos, onde joguei e além disso jogo, a diferença no tratamento das atletas é muito grande, a começar pela forma de encarar o futebol feminino como uma modalidade profissional. No Brasil, essa modalidade além disso é vista como amadora”.

O agente de Marta não se conforma com o desvalor sofrido pela jogador. “A rejeição a ela é quase nula, porque os homens gostam de Marta, de ver Marta jogar. As mulheres veem a história de Marta como inspiração porque ela é uma mulher que chegou lá”, informou Fabiano Farah à Infomoney e inconformado prosseguiu: “Há um buraco enorme entre Marta e jogadores médios, que não são conhecidos. É incrível a falta de atenção e a necessidade de sobrevivência para essas mulheres”.

Exemplo de mulher vitoriosa