Traficante mantinha pub e outros estabelecimentos para lavagem de dinheiro



O pub Blackout localizado no bairro da Jatiúca, uma pizzaria no Conjunto Salvador Lyra e uma academia no bairro da Serraria eram usados pela organização criminosa para lavagem de dinheiro em Alagoas. A operação que foi desencadeada pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta-feira (07) resultou na morte de um dos líderes de uma facção criminosa do Estado de São Paulo, Erik da Silva Ferraz, que utilizava um nome falso em Alagoas.

De acordo com a Polícia Federal (PF), a organização igualmente tinha contatos internacionais e sofisticado esquema de lavagem de dinheiro envolvendo operações milionárias com outros países.

além disso de acordo com a PF, na casa de uma das laranjas, foi apreendida a quantia de US$ 500.000,00, que pela forma de acondicionamento indica ter origem no exterior, em contas existentes em paraíso fiscal. A PF deverá rastrear a origem do numerário.

O integrante da facção mudou sua identidade em Maceió e simulava ser empresário. Ferraz era foragido do Sistema Prisional de São Paulo e tem uma história de vida totalmente ligada ao mundo do crime. Ele assumiu a posição de chefe de uma organização criminosa, depois que seu pai João Aparecido Ferraz Neto, conhecido como João Cabeludo, foi preso na Bolívia.

João Cabeludo acumula condenações  que somam 500 anos de prisão e sua  família comanda o tráfico de drogas na região de Jardim da Granja, zona