Início / Esportes / F1 / Prost sobre a morte de Bianchi: “Houve um pequeno erro que custou muito caro”

Prost sobre a morte de Bianchi: “Houve um pequeno erro que custou muito caro”

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Para o tetracampeão mundial, uma série de falhas resultaram no desfecho trágico do acidente que vitimou o piloto francês no GP do Japão de 2014.

Para Alain Prost, foram apenas pequenos erros que resultaram no acidente que matou Jules Bianchi. Em entrevista para a emissora de TV francesa ‘Canal Plus’, o tetracampeão mundial reconheceu que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) melhorou muito a segurança na F1. Apesar disto, Prost afirma que isto não foi o suficiente para evitar o falecimento do ex-piloto da Marussia.

Prost

Prost acredita que uma série de erros ocasionaram o acidente que vitimou Bianchi (foto)

“Acho que houve um pequeno erro que custou muito caro”, citou. “Houve um acidente em uma chuva torrencial e uma visibilidade muito baixa. Então, eu estava pensando sobre isso hoje e acho que algumas coisas devem ser mudadas”, declarou.

“Conversei muito sobre isso nas minhas reuniões e discussões. Talvez, a entrada do carro de segurança poderia ter evitado o acidente com o guindaste. Acho que é um erro julgar isso agora”, complementou.

Prost também lamentou a morte de Bianchi. Para o tetracampeão mundial, o legado deixado pelo condutor francês é o sistema de carro de segurança virtual, que está instalado nas máquinas do campeonato de 2015.

“Mas, em quase todos os lugares, sempre há um pouco em que pode ser feito diante dessas tragédias. A morte de Jules [Bianchi] foi uma fatalidade. Mas isso não deverá ser esquecido. A prova disto é que desenvolvemos o novo sistema de carro virtual”, respondeu.

“A FIA tem feito muito para melhorar a segurança na F1 nos últimos 21 anos. Isso significa que muito trabalho foi realmente feito. O inquérito [do acidente de Bianchi] nos mostrou algo muito escandaloso. Mas as pessoas são como elas são”.

Fonte: F1 Team
http://f1team.leiaja.com

Comentários


  •  
  •  
  •  
  •  
  •