Ex-Prefeito de Capela, Sukita, é preso pela PF

Momento em que Sukita assina mandato de sua prisão. Foto: Nenoticia.com.br
Momento em que Sukita assina mandato de sua prisão. Foto: Nenoticia.com.br

O ex-prefeito Manoel Messias Sukita foi preso na manhã de hoje após cumprimento de mandados de prisão realizados pelas policiais civis e federal

Vários policiais civis e federais estão cumprindo desde as primeiras horas desta terça-feira (03), quatro mandados de busca e apreensão em duas empresas e na residência do ex-prefeito de Capela Manoel Messias Sukita, que está sendo investigado por suposta lavagem de dinheiro.

Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos nos municipios de Aracaju e Capela, na casa do ex-prefeito. As duas lojas de veículos do ex-prefeito, localizadas na aveinida desembargador Maynard, em Aracaju, estão ocupadas por policiais federais e civis do departamento de ordem tributária que recolhem documentos e computadores da empresa.

Em Capela, pelo menos 20 policiais civis e federal, estariam na residência de Manoel Messias Sukita. Também em seu apartamento no bairro 13 de julho, policiais reolhem documentos. Em Capela, policiais federais estão na residência, inclusive a rua que dá acesso à casa foi interditada. Ex-secretários do ex-prefeito tambem estariam sendo investigados.

Contra o ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita, pesa a acusação de ter efetuado saques no valor superior a R$ 6 milhões das contas da prefeitura no final de sua gestão e na manhã de hoje vários documentos foram apreendidos, junto com computadores e documentos que possam conter algum indício de crimes praticados por Sukita enquanto prefeito de Capela.

Por volta das 06:45 horas, as informações eram de que havia mandado de prisão contra um ex-secretario de Capela, José Edvaldo e tambem contra uma irmã do ex-prefeito, Clara Mirani, além de sua esposa, Silvani e do próprio Manoel Messias Sukita.

As informações são dos radialistas Gilmar Carvalho, Jailton Santana e Alex Carvalho no programa Jornal da Ilha

NOTA OFICIAL SOBRE PRISÃO

Na manhã de hoje, 03.06.2014, foi deflagrada a Operação Policial POP, em ação conjunta das Polícias Federal e Civil, com participação dos Ministérios Públicos Federal e Estadual de Sergipe, além da Controladoria Geral da União (CGU).

As ações consistem na realização de quatro prisões e oito buscas em endereços associados aos investigados. Foram expedidos mandados de prisão em desfavor do ex-prefeito municipal de Capela/SE, Manoel Messias Sukita Santos; da ex-primeira dama e Secretária Municipal de Capela, Silvany Yanina Mamlak, do ex-Secretário Municipal de Capela, José Edivaldo dos Santos, e da empresária, Clara Miranir Santos.

Mediante autorização das Justiças Federal e Estadual prevê-se a realização de buscas em quatro endereços situados no município de Capela e quatro endereços no município de Aracaju, onde espera-se que sejam apreendidos documentos e materiais que servirão à  instrução de inquéritos em trâmite nos órgãos policias citados.

Na Polícia Federal, investigam-se os crimes de lavagem de dinheiro, Lei nº 9.613/89, e de responsabilidade por parte do ex-Prefeito, Decreto Lei nº 201/67.

Na Polícia Civil do Estado de Sergipe tramitam três inquéritos policiais para investigar crimes de responsabilidade supostamente praticados por Manoel Messias Sukita Santos durante sua gestão em Capela/SE, condutas descritas no Decreto Lei nº 201/67.

Existem procedimentos nos Ministérios Públicos Federal e Estadual para apurar atos de improbidade administrativa por parte de Manoel Sukita, ao longo de seus mandatos de prefeito.

Segundo levantamentos realizados pela CGU, constam diversos indícios de irregularidades na aplicação e prestação de contas de recursos federais, por parte do ex-gestor, em convênios firmados junto a vários Ministérios.

Coletiva

Às 15h haverá coletiva de imprensa no Auditório da Superintendência da Polícia Federal em Sergipe, situado na Av. Augusto Franco, 2260, Siqueira Campos, nesta Capital, com a participação de todos os órgãos envolvidos, oportunidade em que serão prestados maiores esclarecimentos acerca das investigações e da operação.

DPF/PC/MPF/MPE/CG

Fonte: Faxaju

Comentários