José Cícero Dionísio dos Santos era suspeito do esquartejamento de uma mulher e de mais de 100 assassinatos.

Foi morto nesta quarta-feira (30), em Piranhas, no Sertão alagoano, José Cícero Dionísio dos Santos, de 30 anos, suspeito do esquartejamento de uma mulher no conjunto Carminha, no Benedito Bentes, em Maceió, e de envolvimento em mais de 100 homicídios. Ele era um dos foragidos do Presídio Baldomero Cavalcanti.

Conhecido como “Negão da 12”, Dionísio havia sido preso em 2012, em Passo de Camaragibe, no Litoral Norte, portando três armas. Na ocasião, em depoimento colhido em áudio e vídeo pela polícia, ele assumiu ter sido o responsável pela morte de cerca de 100 pessoas, sendo 60 apenas no Benedito Bentes.
Operação da Copes prendeu ainda seis homens (Foto: cortesia Dulce Melo)
Também foram presos da operação da Companhia de Operações Policiais Especiais do Sertão (Copes) Fábio Marques da Silva Jaime, Aldair José Vieira de Melo, conhecido como “Nego de Irene”, e George Alves dos Santos, além de José Cícero Silva, Geovani Pereira dos Santos e José Carleandro Mariano da Silva, esses últimos fugitivos recentes do Baldomero Cavalcanti.

Segundo informações da Copes, os presos faziam um churrasco na hora em que foram interceptados pela polícia. Eles tentaram fugir pela caatinga, mas equipes seguiram em diligência no local e conseguiram efetuar as prisões. Um homem, que foi baleado, ainda segue foragido e o veículo Fiat que estava com eles já foi encontrado.

Com eles, foram encontrados celulares, dinheiro, duas armas de fogo, um facão, munição, máquinas fotográficas e drogas.

A polícia chegou aos criminosos após denúncia anônima. Depois de levantamentos do Serviço de Inteligência, foi encontrada a casa onde estariam morando os foragidos.

Fonte: Gazetaweb.com

Comentários