O Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas ainda não está oficialmente na investigação sobre a morte do vereador Antônio Cezar, de Piaçabuçu.

Mas a credibilidade que o Gecoc – do MP Estadual – possui junto aos alagoanos atrai, naturalmente, informações preciosas sobre as ações do Crime Organizado no estado.

Desde ontem, ressalte-se, os informes não param de chegar. E quase como um pedido desesperado de socorro.

Um deles dá conta de que existe uma lista de mais oito pessoas marcadas para morrer, em Piaçabuçu, pelas mãos do mesmo grupo que ceifou a vida do vereador do PSDB.

Mais ainda: o motorista de um destacado político local também teria recebido o “aviso” para abandonar a cidade em no máximo uma semana.

O clima é de medo e terror.

O Gecoc só pode atuar oficialmente na investigação por determinação do procurador-geral de Justiça, Sérgio Jucá. O que não aconteceu, por enquanto.

FOnte: TNH1/ Ricardo Mota