Samya Morais / Foto: Facebook
Samya Morais / Foto: Facebook

Um fato que vem repercutindo muito na manhã desta terça-feira, 06 de janeiro, é o caso da enfermeira Samya Morais, que foi dada como desaparecida desde o dia 05 de janeiro pelo seu noivo Ricardo Ribeiro. O companheiro da enfermeira começou a divulgar fotos em redes sociais da jovem, nas imagens o mesmo pedia ajuda para que pudesse ter alguma informação da mesma que entrasse em contato, pois ela se encontrava desaparecida.

Diante da repercussão, a Polícia Militar da cidade de Paripueira, encontrou Samya Morais em uma casa de veraneio com um suposto professor de uma escola pública da capital identificado por Vítor.

Os veículos de imprensa de todo estado começaram a divulgar que o caso foi de sequestro relâmpago, porém depois de uma averiguação com acusado, o mesmo relatou que não foi nada disso. Segundo Vítor, Samya foi de espontânea vontade para a casa de praia.

Ele contou que quando a enfermeira saiu do trabalho, no Hospital Geral do Estado, no bairro do Trapiche da Barra, em Maceió, foi buscá-lo em uma escola pública onde ele trabalha, também na capital.

Depois disso, o casal teria passado na casa de Vitor, onde ele pegou algumas roupas. Os dois teriam seguido para a casa de veraneio, em Paripueira, pertencente à família do jovem.

Ainda de acordo com o depoimento feito por Vitor à imprensa, os dois passaram a noite e a manhã juntos, até tomarem conhecimento de que Samya era considerada desaparecida e estava tendo fotos compartilhadas por centenas de pessoas nas redes sociais. “Não sequestrei, não agredi, nem mantive ninguém em cárcere privado.

Ela foi quem decidiu deixar o celular desligado. A família dela e o noivo sabiam do nosso relacionamento”, revelou o homem apontado como sequestrador. Vitor ainda disse que conhece Samya há muito tempo e que a enfermeira teria sido forçada pela família a acabar o relacionamento com ele para ficar com Ricardo.

Noivo nega caso 

Segundo o noivo, Ricardo Ribeiro, essa versão de caso amoroso é falsa:
“Estou chocado com o relato. Não aceito essa versão de caso amoroso. Quando a polícia chegou na casa, ela estava desesperada, pedindo para ser levada de volta para casa porque teve uma noite horrível”, contou.

Devido a repercussão do caso, o noivo resolveu apagar sua conta no Facebook, a mesma que usou para divulgar suposto sequestro da enfermeira.

O pai de Vitor, que não quis se identificar, também foi ao local e falou com o TNH1. Ele contou que aconselhava o filho a deixar a enfermeira por prever um problema por conta do relacionamento conturbado. De acordo com informações colhidas na delegacia, Ricardo Ribeiro já havia procurado a noiva na casa de Vitor, em Maceió, horas após o sumiço da jovem.

Com informações do site TNH1