Prefeito-de-Penedo-visita-TGEm encontro realizado na manhã desta quinta-feira, 05 de março, na sede do Tiro de Guerra de Penedo, o comandante da unidade TG/07/008, Luiz Eduardo Bremenkamp, aproveitou enquanto realizava uma pequena palestra informativa sobre o Exército Brasileiro ao prefeito, para mostrar algumas necessidades passadas pelo TG da cidade ribeirinha.

Segundo o comandante, algumas melhorias foram realizadas com recursos da instituição militar, porém há muito o que fazer, segundo o chefe geral da unidade em Penedo.

Alguns pontos foram apontados no sentido que o Poder Público Municipal possa ajudar, foram eles:

Colocação de forro no segundo piso (R$1.000)
Colocação de ar condicionado (R$500) ou dois ventiladores (R$300)
Reparo nos ventiladores já instalados
Reparos nas portas e janelas da sede
Ceder uma funcionária do município para ajudar no TG
Colocar forro em toda a sala de instrução (R$5.000)
Revisão de toda parte elétrica da sede
Reforma, pintura interna, conserto do piso (R$.2.500,00)

O comandante sugeriu ainda que fosse repassada uma quantia aproximada de R$2.000,00 mês, para que essas necessidades fossem supridas a médio prazo.

Além destes pedidos, um em especial chamou a atenção. Que o município pudesse ajudar a implantar uma lei intitulada “Bolsa Atirador”, que trata de uma ajuda de custo, de R$ 200 mensais, destinada aos jovens que estão servindo ao Exército, no Tiro de Guerra de Penedo. Essa lei já foi aprovada em alguns municípios brasileiros, e foi por isso que o comandante entrou em contato com o vereador Marcelo Pereira (PT), no sentido de que o mesmo pudesse elaborar um projeto de lei semelhante e apresentasse ma Câmara.

O prefeito Marcius Beltrão alegou que em sua primeira gestão já tinha contribuído nas melhorias da sede do TG e que não via problema algum em ajudar novamente, porém tudo conforme a lei. Marcius ressaltou que irá entrar em contato com a Secretaria de Serviços Públicos para que funcionários possam se dirigir até a sede e realizar alguns reparos de imediato. Já sobre ceder um funcionário público, não teria problema algum diante que o mesmo fosse efetivo e mostrasse interesse em trabalhar naquele local.

Sobre ajuda de custo, o prefeito ressaltou que em outra época também se prontificou em fazer, porém como o Tiro de Guerra não possuí uma Conta corrente para Administração Pública, fica difícil enviar recursos a instituição militar situada na cidade.

Finalizando, Marcius Beltrão explanou que analisará o “Bolsa Atirador” junto com o setor jurídico e verá a viabilidade deste projeto, porém adiantou que isso não poderá ser feito pelo vereador, pois segundo a lei  nenhum parlamentar pode fazer qualquer projeto de lei que onere custos ao município.