‘Bancada da Família’ vai à delegacia e registra queixa contra artista por obras em exposição


    Trio foi até a DEPCA denunciar incentivo à pedofilia Foto: Reprodução

    Deputados estaduais da chamada ‘bancada da família’ foram até a delegacia da Criança e do Adolescente registrar queixa contra incentivo à pedofilia, supostamente retratados em obras no Museu de Arte Contemporânea, em Campo Grande.  Os parlamentares dizem que a exposição ofende a moral e os bons costumes da população sul-mato-grossense.

    A exposição Cadafalso, da artista mineira Alessandra Cunha, despertou críticas dos deputados Paulo Siufi (PMDB), Herculano Borges (SD) e Coronel David (PSC). Os três foram juntos à delegacia e registraram queixa contra determinadas obras expostas.

    ”Agressiva a moral e aos bons costumes e induz à pedofilia”, relatou em vídeo o deputado Coronel David.O grupo de parlamentares pegou carona na polêmica exposição do Santander Cultural, em Porto Alegre, que foi criticada por supostamente ter imagens de pedofilia e zoofilia, e cancelada após protesto de internautas. O termo ‘carona’ se aplica, uma vez que os trabalhos de Alessandra já estavam expostos desde julho deste ano.

    (Uma das telas da artista que critica o machismo – Foto: Reprodução)

    Ao lado dele, Herculano Borges acrescenta que a queixa é por conta da exposição trazer conteúdo impróprio a crianças e adolescentes. ”Tem gravuras de masturbação e órgãos genitais masculinos, em um local aberto e sem restrição de entrada”, falou o parlamentar.  

    Siufi  justifica que os parlamentares não são contra a arte. ”O que não podemos é fazer apologia à lascívia, até em respeito às crianças e adolescentes de Mato Grosso do Sul”, disse na gravação.

    O peemedebista acrescenta dizendo que os deputados querem apenas a ordem, o apoio à família e a preservação dos direitos do Estatuto da Criança e do Adolescente.

    ”Que seja então restrito a menores de idade”, finalizou Siufi.

    (Deputados dizem que obras tem imagens impróprias a menores de idade -Foto: Reprodução)

    Artista

    Alessandra Cunha, que usa o nome artístico de Ropre, disse que conheceu o Museu de Arte Contemporânea de Campo Grande em 2014 e realizou a primeira exposição naquele ano. Após ter dois projetos reprovados, a artista retornou este ano com a exposição Cadafalso.

    Ropre celebrou em sua rede social a qualidade do museu e a quantidade de visitantes no local, na ocasião do lançamento. Os trabalhos da artista ficam em exposição até o dia 17 de setembro.  

    O delegado titular da DPCA, Paulo Sérgio Lauretto, não atendeu as nossas ligações para saber se a queixa terá andamento.

    A diretora do Marco, Lucia Monte Serrat Bueno, estava em reunião. 

    Veja o vídeo da saída dos deputados da delegacia:


    Fonte: Topmidianews.com.br