Em despacho divulgado neste domingo, o relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Edson Fachin, suspendeu parcialmente o acordo feito entre o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, e os colaboradores Joesley Mendonça Batista e Ricardo Saud.

“Cabível, logo, nos termos pleiteados pelo MPF, a parcial suspensão cautelar da eficácia dos benefícios acordados entre o Procurador-Geral da República e os colaboradores (…)”, diz Fachin em trecho do despacho.

No parágrafo seguinte, o ministro diz que “quanto aos colaboradores Joesley Mendonça Batista e Ricardo Saud, são múltiplos os indícios, por eles mesmos confessados, de que integram organização voltada à prática sistemática de delitos contra a administração pública e lavagem de dinheiro”, decretando em seguida, a prisão temporária dos dois.



Fonte: Diário de Pernambuco

Sem avaliações

Avalie essa notícia