Susto: fogo quase atinge maquinários e moradores acionam Bombeiros


    Os moradores da Rua Martins de Sá  acionaram o Corpo de Bombeiros, nesta sexta-feira (8), para controlar as chamas em um terreno de uma chácara no Bairro Jardim Noroeste, em Campo Grande. Segundo os populares, desde às 17 horas de quinta-feira (7), havia focos de incêndio que poderiam atingir as máquinas que estavam próximas das chamas. 

    O office boy Jhonny Lopes, de 30 anos, que mora em frente ao endereço, disse à reportagem que, desde às 17 horas de ontem, já tinha presenciado focos de incêndio do lado do terreno em uma das ruas de acesso ao local. “Mas só que colocaram do lado de dentro. Eu vi que tinha fogo, mas estava pequeno. E além disso pensei: ‘isso pode se alastrar'”. À noite, o Corpo de Bombeiros foi chamado para conter as chamas. 

    Durante a madrugada de hoje, novamente, o Corpo de Bombeiros foi ao local. “Acordei por volta das 3 horas da manhã e vi que as chamas estavam altas e chegando até as árvores. Chegou ultrapassar o container que estava bem próximo das chamas. O meu vizinho do lado foi quem ligou”, revelou.
    E nesta manhã, novamente, um princípio de incêndio começou os Bombeiros foram novamente acionados. Mais apenas focos de fumaça estavam no local. 


    Jhonny Lopes, morador do Bairro Jardim Noroeste.

    O proprietário do local não quis falar sobre o assunto. 

    Fumaça
    Jhonny disse ao TopMídiaNews que, na região, os incêndios em vegetações são comuns, devido ao próprios moradores atearem fogo. “Eles colocam fogo em tudo e até na porta de casa. E nessa época do ano, em que o tempo fica seco, todo dia tem fumaça aqui no bairro. A minha filha Ana Carolina, de sete anos, passa mal por conta de não conseguir dormir direito com problemas respiratórios”. 

    de acordo com o Corpo de Bombeiros, recorrer à queimada como forma de limpeza é comum tanto na zona rural quanto na área urbana. No caso da agricultura, a prática é feita mediante licença e com todos os cuidados necessários, inclusive porque o risco de incêndio representa prejuízo para os produtores. Mesmo assim, no período de estiagem ela fica expressamente proibida.  

    No caso da área urbana, o contratempo fica por conta do hábito cultural de limpar terrenos baldios e atear fogo ou até juntar folhas no quintal para queimar.Com isso, a poluição ambiental, traz os malefícios para a saúde da população, como o aumento na incidência de problemas respiratórios. Isso porque as massas de ar seco impedem que a fumaça seja dissipada.

    Seja qualquer a causa ou motivação, a pessoa que praticar a queima nesse período do ano poderá ser enquadrada por crime ambiental, tanto com base em legislações federais quanto em regulamentos estaduais e municipais. 

    Proprietários de terrenos vazios têm a obrigação de mantê-los limpos sendo vedado o uso de queimadas para limpeza. 

    Prevenção
    Entre as recomendações para evitar incêndios no período crítico do ano estão: não colocar fogo sob hipótese nenhuma; criar aceiros nos terrenos, com limpeza da vegetação num espaço de 1,5 metros ao redor para evitar que incêndios vizinhos consigam se propagar; recolher as folhas secas em sacos de lixo; e não jogar bitucas de cigarro em locais onde há vegetação que possa servir de combustível.


    Fonte: Topmidianews.com.br