A empresa de construção Ônix e a Secretaria de Transporte e Desenvolvimento Urbano do estado (Setrand) foram notificadas pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas para que ambos expliquem a falta de pagamento de salários e verbas rescisórias a mais de 50 trabalhadores terceirizados que atuaram nas obras de mobilidade urbana de Alagoas – que incluem a construção de escadarias nas grotas de Maceió. Segundo o MPT, esses funcionários foram vítimas de calote.

Há dois meses sem receber nenhum pagamento, os trabalhadores relataram que a Ônix Construções rescindiu o contrato de trabalho com o estado e, mesmo após receber da gestão estadual duas faturas no valor de R$ 260 mil, a empresa não efetuou nenhum pagamento de salário ou de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) aos empregados. Segundo relato dos terceirizados, a Ônix igualmente teria dado calote em restaurantes e postos de combustíveis.

 De acordo com depoimento dos trabalhadores, a Ônix Construções constantemente repassa a informação de que não há previsão para pagamentos. A construtora, com sede na Bahia, encerrou as atividades em Alagoas, mas, relatos extraoficiais preliminares, tem grandes obras nos estados de São Paulo, Bahia, Minas Gerais e até no Amazonas.

O procurador do Trabalho Rodrigo Alencar afirmou que a situação é grave e precisa de solução urgente, já que a empresa teria prejudicado mais de 50 empregados diretos e fornecedores. “A Ônix tem a obrigação de regularizar os pagamentos dos trabalhadores, mas o estado, como tomador do serviço, tem a responsabilidade de fiscalizar a situação trabalhista dos que laboram em suas obras”, disse.

A reportagem do Cada Minuto entrou em contato com a Setrand que informou que vai se posicionar por meio de nota.



Fonte: Cadaminuto

Comentários