[ad_1]

​Há jogadores que não abrem mão de certos números em suas camisas. Outros nem tem a oportunidade de escolher. E há igualmente aqueles que nem estão aí para isso. No ​Palmeiras, a numeração para 2018 está definida. E com algumas curiosidades.

Lucas Lima

Acostumado a jogar com a camisa 10, Lucas Lima sequer se alçou a pedi-la e teve que se contentar com a 20. Afinal, Moisés, um dos líderes do elenco e bastante estimado pela torcida, continua como dono absoluto dela. Por sua vez, Weverton, outra novidade do elenco para 2018, ficou impossibilitado de escolher a 12, sua camisa favorita. No Verdão, nenhum outro goleiro depois São Marcos está autorizado a usá-la. A alternativa encontrada foi inverter os algarismos e optar pela 21.

FBL-LIBERTADORES-PALMEIRAS-WILSTERMANN

igualmente reforços do clube, o lateral-direito Marcos Rocha não conseguiu ficar com o número 2, mas fez questão de dobrá-lo e escolher o 22. Já Diogo Barbosa, mais um que chega para ser titular, não teve contratempo em ganhar o tradicional 6 dos laterais-esquerdos. E Felipe Melo? Um dos personagens de 2017 viu a camisa 5, de primeiro volante, ficar vaga com a saída de Arouca. Qual foi sua reação? Se manter com a 30, utilizada desde sua chegada ao Allianz Parque. Segundo ele, isso se deu por respeito àqueles que já adquiriram o seu uniforme. Curiosidades do mundo da bola, mas que o torcedor gosta de saber.

Fotos: Palmeiras / Divulgação

[ad_2]

Fonte: 90min

Comentários