Oscar 2018 | Fundadora do movimento #MeToo pede que Ryan Seacrest não cubra o tapete vermelho | Notícia


Wikimedia Commons/Reprodução

 - Wikimedia Commons/Reprodução

A fundadora do movimento #MeToo, Tarana Burke, alegou à Variety que gostaria que a emissora E! não colocasse Ryan Seacrest para cobrir o tapete vermelho do Oscar 2018. O apresentador foi acusado de assédio por sua antiga figurinista.

“Eles realmente não deveriam mandá-lo [ao Oscar]. Não deveríamos ter que fazer essas escolhas”, disse, sobre a pressão que as atrizes terão agora para decidir se evitam ou não Seacrest. “Não é sobre culpa ou inocência. É sobre existir uma acusação no ar. [Essa pressão] deveria estar com o E! News, não conosco… Isso nos mostraria o quanto eles respeitam essa questão e as mulheres”.

Secreast, que cobre o tapete vermelho do Oscar desde 2006, foi acusado pela figurinista Suzie Hardy de ter feito avanços sexuais agressivos, como tocar na vagina dela e esfregar sua ereção na colega de trabalho. Ele negou as acusações. Já a emissora alegou que não encontrou evidências suficientes para provar que Seacrest cometeu tais atos.

A premiação será apresentada novamente por Jimmy Kimmel, neste domingo (4), com cobertura completa do Omelete no site e nas redes sociais. A partir das 21h, comentaremos cada detalhe da cerimônia na live, transmitida no Youtube e no Facebook. E, neste ano, a galera do Choque de Cultura igualmente faz comentários ao vivo, no canal do Omelete.

Leia mais sobre Oscar



Fonte: Omelete