Sessão extraordinária que aprovou o projeto aconteceu na tarde desta segunda

E chegou ao fim o último capítulo do projeto de lei que cria o Regime de Previdência Própria dos Servidores Públicos de Penedo. Em sessão extraordinária na sede da Câmara de Vereadores de Penedo, foi colocado em segunda e terceira votação o projeto de lei oriundo do município.

Na primeira etapa, o Presidente Antônio de Figueiredo Barbosa Júnior (Júnior do Tó), abriu discussão para que os vereadores pudessem explanar sobre o tema. Após a fala de alguns edis, o Vereador Nelsinho pediu para que a votação fosse nominal, porém por maioria dos votos o requerimento foi rejeitado.

Após isso o presidente da “casa de leis” colocou o projeto em votação, e o resultado foi o seguinte:

Votaram contra:
João Lucas
Nelsinho
Marival Oliveira
Edivaldo Santos
Roberto da Farmácia
Fagner Matias
Ernande Pinheiro

Votaram a favor:
Bili Marques
Rogério dos Peixoto
Mano da Caçamba
Macaxeira Enfermeiro
Raquel Tavares
Marcelo Pereira
Derivan Thomaz

Como a votação ficou empatada o presidente Júnior do Tó agiu como manda o regimento interno e deu o seu voto a favor do projeto e assim aprovando o Regime Próprio de Previdência Social para os servidores Públicos de Penedo.

A exemplo da 2ª votação, a 3ª e última também foi realizada e o projeto foi aprovado, seguindo para o Poder Executivo para ser sancionado pelo prefeito.

BASTIDORES

Após encerramento da sessão, um pequeno tumulto começou a acontecer na sede da Câmara, tendo invasão por parte de alguns manifestantes que estavam situados no lado de fora da sede. A Polícia Militar conseguiu resguardar os ânimos apenas orientando para que as pessoas não tomassem medidas extremas na sede do Poder Legislativo.

O vereador Nelsinho Azevedo, em discurso já fora da Câmara usando o som de um carro de sonorização, afirmou que a luta ainda não acabou, pois segundo ele, o SINDSPEM pode entrar na justiça para poder eliminar a primeira votação do projeto, pois ele alegou que o presidente votou em uma sessão deixando o seu vice presidir o parlamento da casa.

DA REDAÇÃO DO BOA INFORMAÇÃO

Comentários