Ana Furtado faz exercícios e diz: “reduz efeitos colaterais”


Ana Furtado compartilhou na manhã desta sexta-feira (29), parte de sua rotina de atividade física enquanto está fazendo seu tratamento contra um câncer de mama.

“Sempre considerei atividades físicas como um hábito essencial para ter uma melhor qualidade de vida e, quem me acompanha aqui, sabe que costumo compartilhar essa rotina de exercícios. Algumas pessoas têm me perguntado se é permitido que eu faça atividades físicas enquanto estou em tratamento quimioterápico. Os médicos não apenas não proíbem como também incentivam a prática de atividades físicas”, escreveu.

A apresentador, que fala abertamente da doença completou: “Mas é claro que as pessoas são únicas e os organismos respondem de forma distinta a diferentes tratamentos.
Então, a primeira coisa é: consulte seu médico. A minha rotina de atividades está mais leve. Não é recomendado se exercitar à exaustão porque isso pode vir a comprometer a imunidade e, por consequência, deixar o organismo mais exposto a possíveis infecções. Mas é fato também que a atividade física me estimula, me faz sentir viva e está contribuindo para reduzir os efeitos colaterais da quimio e o risco de depressão – muito comum em pacientes em tratamento contra o câncer.”

Sobre efeitos colaterais do tratamento, a mulher de Boninho disse: “Um dos efeitos colaterais é a fadiga. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos, entre 72% e 95% dos pacientes são afetados por esse cansaço extremo, que pode resultar na diminuição significativa da qualidade de vida. Estudos mostram que a prática diária de exercício pode diminuir a intensidade desse sintoma em até 50%. Assim, sigo com minha rotina de exercícios, respeitando os limites do meu corpo, e com acompanhamento médico constante!”


Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!





Fonte: Na Telinha / UOL