Fox Premium exibirá nova série de Ryan Murphy, que aposta na diversidade


O Fox Premium adquiriu os direitos de exibição da série “Pose”, da dupla Ryan Murphy e Brad Falchuk (“Glee”, “American Horror Story” e “Nip/Tuck”) em parceria com Steven Canals.

Com oito episódios de uma hora cada, a produção que teve seus dois primeiros episódios dirigidos por Murphy, tem previsão de estreia no país no segundo semestre de 2018 no Fox Premium e App da Fox.

Com o maior elenco de atores transgêneros da história da televisão americana e o maior elenco LGBTQ de uma série já produzida, “Pose” crava um novo marco na indústria de conteúdos roteirizados. Ambientada no final dos anos 80, o enredo explora a união de diferentes elementos da sociedade nova-iorquina da época. Entre eles a subcultura do salão de baile, o auge do universo de luxo da era Trump e a cena social e literária do centro da cidade de Nova York.

Produção da Fox 21 Television Studios e FX Productions, “Pose” conta com as atuações de MJ Rodriguez (“Saturday Church”), Dominique Jackson, a modelo e atriz Indya Moore, Hailie Sahar (“Mr. Robot”) e Angelica Ross (“Claws”). No elenco estão ainda Evan Peters (“American Horror Story”), Kate Mara (“Fantastic Four”), James Van Der Beek (“Dawson´s Creek”), o ganhador do Prêmio Tony, Billy Porter (“Kinky Boots”) e Charlayne Woodad (“Law & Order), além dos debutantes atores cisgêneros Ryan Jamaal Swain, Dyllón Burnside e Angel Bismark Curiel.

Murphy, Falchuk, Nina Jacobson, todos vencedores do Emmy e do Globo de Ouro, assinam a produção executiva ao lado de Brad Simpson (“World War Z”), Alexis Martin Woodall (“Feud”) e Sherry Marsh (“Vikings”). Canals e Silas Howard (“Transparent”) atuam como produtores co-executivos. A autora de best-seller Janet Mock (“The Trans List”), a pianista Our Lady J e Erica Kay (“Billions”) são produtoras da série.


Para comentar na página você deve estar logado com seu perfil no Facebook. Este espaço visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos, de propaganda e que firam a ética e a moral podem ser deletados. Participe!





Fonte: Na Telinha / UOL