Procura por drones cresce 274% em um ano; saiba escolher o modelo ideal


Os drones estão em toda as partes: seja nas praias, pontos turísticos ou em festas, os aparelhos que garantem imagens áreas ganharam fãs de todas as idades. No site de comparação de preços Zoom, as pesquisas pelo item cresceram 274% em um ano. O público é o mais variado: desde curiosos que querem fazer vídeos no final de semana e em suas viagens é profissionais de fotografia que precisam turbinar o seu trabalho.

Especialista de produtos do Zoom, Thiago Rocha explica que a escolha do melhor drone depende exatamente do objetivo do consumidor, se é apenas recreação ou se a aparelho será utilizado para fins profissionais.

— A partir daí, os principais fatores que a pessoa deve ficar de olho é na autonomia de bateria, as características da câmera e se há estabilização de imagem. Quem procura por economia acaba optando pelos drones de entrada, como o Candide Intruder H-18 que é barato e entrega o kit básico de filmagem. Por outro lado, quem já conhece um pouco o universo dos drones e foca em especificações escolhe os modelos da DJI, como o Mavic Pro e o Phantom 4 Pro, que filma em 4K e tem recursos avançados.

Segundo Thiago, também é preciso ficar atento ao valor cobrado pelo acessório:

— Os modelos de entrada, que custam menos de R$ 1.000, não aumentaram de preço nos últimos meses. Agora, os drones mais avançados sofreram com alta devido ao aumento do dólar.

Presidente da empresa de esportes eletrônicos ESL Brasil, Leo De Biase comprou um drone há seis meses durante uma viagem para testar a captação de imagens durante o passeio.

— Gostei bastante. Os ângulos são bem diferentes dos uma máquina fotográfica tradicional e ajudam a guardar lembranças incríveis e únicas. Meu uso é apenas recreativo, mas entendo o quanto são importantes também para o mercado corporativo. Na cobertura de grandes eventos da ESL, os drones já são bastante utilizados, pois apesar de serem mais econômicos se comparado ao custo de um helicóptero equipado com câmera para captar imagens aéreas, garantem uma qualidade especial ao material — explica o CEO da empresa do segmento de esportes eletrônicos Electronic Sports League (ESL).




Fonte: Extra | Globo