Em Penedo consumidora pede 1 real de pão francês e se assusta com o tamanho do produto

Foto: Acervo Pessoal

Marido da consumidora alegou que cada pão não pesava nem 30g

Um homem, que a redação do Boa Informação prefere manter sua identidade em sigilo, usou o Facebook para fazer uma reclamação quanto a venda de pães na cidade. O mesmo relatou nesta manhã de quarta-feira (15), em post na rede social, que sua esposa se dirigiu até uma padaria localizada no Conjunto Rosete Andrade, parte alta de Penedo, para comprar o pão de cada dia. Chegando lá, como é de costume, pediu para que a funcionária lhe entregasse R$1 de pão francês, também conhecido na cidade como pão de milho. Ao entregar o produto, a consumidora se assustou com o tamanho do alimento e a quantidade. Ainda com informações do marido, a cliente ainda tentou reclamar do tamanho dos pães, porém sem sucesso.

Reprodução Facebook

Em contato com o autor do post, o mesmo disse a reportagem que achou um absurdo pagar R$1 de pão e ver cinco miniaturas de pães que não chegava a 7cm, a este preço. Ele ainda explanou que em quase todas as padarias da cidade não se vende o pão pelo peso e sim por quantidade.

ENTENDA

O site Boa Informação entrou em contato com Denys Reis, membro do sistema nacional de defesa do consumidor. Ele fez questão de frisar que o consumidor deve ter ciência exata do que está comprando:

“Um dos direitos mais importantes que o consumidor precisa ter para adquirir um produto ou serviços, é a INFORMAÇÃO clara e precisa do que ele está adquirindo, ou seja o estabelecimento deve informar em local visível ao consumidor e de forma previas as características de cada item, bem como o valor, principalmente quando houver a diferença do tipo do produto que está sendo comercializado. Quanto ao valor do produto, no Brasil existe o livre mercado, dando ao proprietário estipular os valores a serem cobrados (lógico que respeitado o princípio da razoabilidade do mercado, bem como a justificativa) dando a opção do consumidor a pesquisar o tipo do produto em outros comércios, essa última, é o estímulo que os órgão de proteção e defesa do consumidor recomenda aos mesmos.” falou Denys Reis para o Boa Informação.

Pesquisar é provocar a concorrência entres os comerciantes

Quando é encontrado abuso na cobrança de preços ou serviços o Procon possui normatização própria, através do ART. 39, V do Código do Consumidor que versa justamente das práticas abusivas acometidas pelo mercado.

ONDE FAZER A SUA RECLAMAÇÃO

No PROCON em Penedo, na R. 7 de Setembro, nº 50, Centro , de segunda a sexta-feira, no horário de 08 às 14 horas.

Se você constatou alguma irregularidade em qualquer estabelecimento comercial denuncie ao Procon. A fiscalização do órgão estará pronta para atender a todos e os dados dos denunciantes serão mantidos em sigilo. Clique aqui para fazer uma denúncia.