A entrega da obra de restauração do é um marco na história de Penedo pela recuperação do imóvel do final do século XIX que, desde sua construção, pode ser considerado um projeto de vanguarda.

A solenidade realizada na noite deste sábado, 15, pontua outro avanço no município tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) por ser a sétima obra da série de investimentos feitos pelo Iphan em Penedo somente por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas.

Integrando ao macroprojeto Penedo Centro de Convenções, o já viabilizou a requalificação do Largo de São Gonçalo e as restaurações das sedes do Montepio dos Artistas, do Círculo Operário, da Biblioteca Pública de Penedo, do Theatro Sete de Setembro: e ainda dos galpões situadas no bairro Santo Antônio, na orla ribeirinha, onde estão sendo implantadas a Escola Náutica, Oficina e Marina Pública, sendo que neste último está em execução a recuperação do Cais da Marina,

As intervenções somam quase R$23 milhões já investidos em Penedo, segundo informa a assessoria do em release publicado sobre a conclusão do restauro do Chalé dos Loureiros, obra contou com investimentos do Iphan na ordem de R$ 2,7 milhões, sendo o projeto elaborado pela Prefeitura de Penedo.

“Considerado um edifício eclético, o Chalé dos Loureiros traz vários detalhes personalizados, como as pinturas parietais e os gradis de ferro encomendados da Europa diretamente para a residência, assim como os azulejos da copa. Foi construído fora do núcleo original da cidade, tornando-se um vetor de crescimento e desenvolvimento para Penedo, que se expandiu a partir da nova edificação”, conforme explica o jornalista Raphael von Sohsten.

“Completamente restaurado, os trabalhos incluíram a recuperação e conservação da infraestrutura. Os marcantes lambrequins e toda a cobertura também estão plenamente recuperados, assim como o gradeamento personalizado e os pisos, que agora exibem os originais em madeira. A casa também recebeu rampa e um elevador, que garantem condições de acessibilidade ao prédio que, agora, também possui sistema de combate a incêndio. A obra também encontrou diversas pinturas de parede que estavam escondidas debaixo de camadas de tintas”, destaca o assessor do Iphan Alagoas

“Reunindo diversos estilos arquitetônicos, a casa possui elementos valiosos, como pisos de madeira, telhas em ardósia e pinturas de parede que são verdadeiras obras de arte. Toda essa riqueza foi completamente restaurada e agora o Chalé dos Loureiros está pronto para receber o Museu do São Francisco, equipamento cultural sobre a vida de quem vive às margens do Velho Chico”, completa Raphael sobre a próxima etapa do projeto que tem recursos garantidos pelo Iphan, conforme anuncia a presidente nacional da instituição, Kátia Bogéa, durante seu discurso na entrega da obra.

Fonte Iphan Alagoas