Literalmente, guerra: brasileiro faz relato impressionante sobre clássico na Indonésia


​Quantas vezes usamos a expressão “clima de guerra” para caracterizar o ambiente de uma partida de futebol que envolve grande rivalidade, seja no Brasil ou em outro lugar do mundo. Pois neste final de semana um brasileiro que atua no Persija Jakarta, da Indonésia, vivenciou isso literalmente antes da disputa do maior clássico do País, contra o Persib Bandung.

De torcedor para torcedor: ​clique aqui e siga o 90min no Instagram!

Renan Silva, formado no ​Flamengo, relatou ao ​Globoesporte.com o verdadeiro caos que se formou antes, durante e após a partida disputada no estádio adversário e vencida pelos donos da casa por 3 a 2. A delegação do Persija não se deslocou à cidade de Bandung (cerca de duas horas distante) de ônibus em função do risco de ataques na estrada. “Se fôssemos de ônibus, eles quebrariam tudo no caminho. A torcida deles aguarda na estrada e arma uma emboscada. Fomos pegos no aeroporto pela polícia com um esquema de guerra para irmos ao hotel para concentrar. Tivemos que nos locomover do aeroporto até o hotel de blindados”, disse o atleta.

No caminho para o estádio, também foram escoltados pelos “caveirões”. Dentro do palco, que recebeu cerca de 55 mil pessoas, apenas pequenos desentendimentos. Porém, fora dele, um torcedor do Persija foi espancado por rivais até a morte. Vídeos que circulam na internet mostram ele sendo agredido com pedras, pedaços de madeiras e até barras de ferro. Ao menos oito pessoas foram detidas. “Já joguei clássicos, mas nunca um igual a esse. Nunca havia vivenciado isso que vivenciei aqui”, concluiu o meia, que já passou por Vitória, Goiás, Bahia e times de outros seis países da Ásia. Resta, apenas, lamentar que o futebol ainda conviva com cenas assim.





Fonte: 90min

Comentários