As irmãs Maria Sara da Conceição, de Alagoas, e Maria Luciana da Conceição, do Piauí, estão em Patos na Paraíba para visitar seu irmão Adriano Teixeira Lima, que ficou conhecido na cidade paraibana como João de Deus.

As duas se encontraram na manhã de hoje com a fotógrafa France Nunes e a vendedora Luciana Pereira Dias, que é uma das acompanhantes de João de Deus no Hospital de Patos.

As duas irmãs ainda não se encontraram com João de Deus, pois existe uma preocupação das suas acompanhantes, uma vez que ele se mostrou arredio quando recebeu a informação de que receberia a visita das irmãs. Elas estão contatando um psicólogo para que possa conversar com ele antes da visita das irmãs.

João de Deus

João de Deus vivia nas ruas de Patos, em grande dificuldade e com um sério problema de saúde. Ninguém sabia nada dele, nem sua origem nem o nome, pois ele tem problemas mentais e se mostrava muito arredio no contato com as pessoas. Até a sua internação se deu de forma compulsória.

Foi no Hospital de Patos, durante sua recuperação, que ele foi ficando mais sociável, disse se chamar Adriano Teixeira Lima, que era de Alagoas, trabalhou em uma usina na cidade de Penedo e tinha 25 anos.

Com a grande repercussão na imprensa local e os inúmeros compartilhamentos nas redes sociais a noticias chegou também à imprensa alagoana, que deu destaque ao caso.

Na quarta-feira, 03/09, uma moradora de Olho D’água de Alagoas, entrou em contato com a vendedora Luciana Pereira dizendo ser irmã de João de Deus e demonstrando muita alegria de finalmente encontrá-lo. Ela disse que toda a história que ele contou, que se chamava Adriano, que tinha 25 anos, que era de Alagoas e trabalhou cortando cana de açúcar, corresponde exatamente à verdade dos fatos.

Nesta segunda-feira, 15/10, duas irmãs de João de Deus, Sara e Luciana, estarão em Patos para visitá-lo; e na terça-feira, 16, haverá uma audiência no Ministério Público Estadual, para tratar da situação dele e para onde ele vai quando sair do  Hospital de Patos.

João de Deus segue internado no Hospital Regional de Patos e tem recebido o carinho de todas as voluntárias que se dispuseram a acompanhá-lo. Se tornou querido entre elas. Aos poucos todo o cuidado e carinho recebido foi fazendo com que ele se tornasse menos arredio e mais sociável, embora ainda dê trabalho para tomar banho e de vez em quando se aperreia querendo ir embora, inclusive chegou a fugir do hospital recentemente, mas foi encontrado pelo Samu, que o trouxe de volta.

Esta semana será realizada uma audiência no Ministério Público da Paraíba para discutir a situação do jovem. O entendimento é de que ele precisa de um benefício social e de um lugar que possa abrigá-lo logo que deixar o hospital.

Fonte: Folha Patoense