Ouvi certa vez de um veterano da política penedense que uma eleição passa pela outra e não é porque você apoia determinado candidato de um grupo agora que apoiará outro do mesmo grupo num futuro próximo. Em 2016 quando Marcius Beltrão (PDT) se reelegeu prefeito para o seu terceiro mandato, muitos que agora estavam apoiando seu irmão para deputado estadual, gritavam em alto e bom som que a melhor opção à época era a candidata Ivana Toledo (PP).

Mesmo a maioria do grupo ainda não sabendo ao certo se os Toledos virão com Alexandre ou Ivana na cabeça de chapa, a divisão de opiniões é algo notório. Para alguns vislumbra-se a chance de Alexandre quebrar um tabu e ser o primeiro prefeito de Penedo com a marca de quatro eleições vitoriosas para chefiar o Executivo. Já outros acreditam que a vez continua sendo de Ivana, já que consagrou-se como liderança forte dentro do grupo, sendo dito por alguns que o reflexo de 2016 foi uma perda com vitória.

Nas últimas conversas com Alexandre sua afirmação continua sendo a de que a candidata em 2020 será Ivana. Sobre o pleito eleitoral de 2018, Alexandre não vê nenhum agravante que descredencie o grupo para não continuar sendo o principal opositor da atual administração municipal numa disputa futura.

O grupo conseguiu votação esperada para os candidatos a estadual e federal, não logrando êxito nas apostas para o Senado. Pela forte influência de Teo Vilela na campanha vitoriosa de Rodrigo Cunha e pelo laço de amizade que estabelece com Alexandre, não se descarta uma aproximação que resulta em soma de forças em 2020. É esperar pra ver!