Cruzeiro e Atlético-MG fizeram ótimas janelas, mas qual dos rivais se saiu melhor?


Com os campeonatos estaduais chegando em sua terceira rodada, as principais movimentações de mercado dos grandes clubes da Série A já tiveram seus respectivos desfechos. Mudanças ainda podem acontecer, chegadas e partidas ainda podem se desenvolver, mas a aproximação do mês de fevereiro permite as primeiras leituras sobre os elencos montados para 2019. Neste caso específico, analisaremos as janelas de ​Atlético-MG e ​Cruzeiro, na tentativa de cravar qual clube mineiro saiu “vencedor” desta intertemporada, ao menos por ora. Sem mais delongas, vamos lá:

Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

​​O Atlético-MG fez uma janela bastante competente apesar das dificuldades financeiras. Contratou um lateral promissor com enorme potencial de revenda futura (Guga), um zagueiro jovem de reconhecida qualidade técnica (Igor Rabello) e outro de grande experiência e pronto para assumir o posto de líder do elenco quando Léo Silva se aposentar (Réver). Para meio-campo e ataque, outra mescla de rodagem e juventude: Jair (volante, ex-Sport); Vinícius (meia, ex-Bahia); Maicon Bolt (ponta, ex-Antalyaspor) e Rafael Papagaio (centroavante, Palmeiras). Conseguindo evitar perdas sentidas – o único bom nome que deixou a Cidade do Galo foi Matheus Galdezani – e com aquisições para todas as posições/setores, ​o Galo apostou na segurança, sem loucuras por grandes estrelas.

O Cruzeiro, por sua vez, perdeu seu principal articulador para um rival nacional: De Arrascaeta rumou ao Flamengo, na transferência mais cara da história do futebol brasileiro. Com o valor recebido na negociação, ​a celeste investiu em três contratações importantes: Dodô (lateral-esquerdo), Rodriguinho (meia) e Marquinhos Gabriel (meia-atacante). Antes deles, o lateral Luis Orejuela e o volante Jadson já haviam sido oficializados. 

O número inferior de contratações da Raposa em relação ao seu rival se dá pelo fato do Cruzeiro ter, originalmente, uma espinha dorsal mais consolidada e experimentada em relação ao Atlético. Atual bicampeão da Copa do Brasil, o clube celeste se preocupou mais em manter seu atual do elenco do que propriamente reforçá-lo, missão desafiadora mas realizada com sucesso pela Raposa, apesar da inevitável saída de seu camisa 10. 

Nome por nome, a janela do Cruzeiro foi mais impactante, já que Dodô chega com moral após um grande 2018 pelo Santos e Rodriguinho segue no imaginário do torcedor brasileiro como um dos principais jogadores dos títulos recentes do Corinthians. Contudo, o mercado do Galo não pode de forma alguma ser desprezado, uma vez que nomes como Igor Rabello, Guga, Jair e Vinícius foram destaques de seus antigos clubes na temporada passada. Vejo os dois rivais de Minas brigando por títulos importantes na temporada, especialmente os nacionais





Fonte: 90min