Vazão do Baixo São Francisco será elevada nesta quinta, após apelo em Penedo

Visão aérea do Bom Jesus de Penedo 2014
Antecipação do aumento da vazão garantirá navegabilidade na festa centenária de Bom Jesus dos Navegantes

A vazão defluente no Baixo São Francisco será elevada a partir desta quinta-feira (11) do patamar atual de 700 para 800 metros cúbicos por segundo (m³/s). A decisão foi anunciada na manhã desta segunda-feira (7), durante reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília (DF), e transmitida por videoconferência para os estados da bacia.

O aumento da vazão estava previsto para acontecer a partir do dia 22, mas foi antecipado em atendimento ao pedido formulado pela Prefeitura de Penedo (AL), com vistas a garantir a navegabilidade durante a festa centenária de Bom Jesus dos Navegantes. A medida também contou com a satisfação do governo de Sergipe, que já vinha pleiteando a elevação da defluência.

O superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA, Joaquim Gondim, explicou que a medida se tornou possível em virtude do cenário de conforto do rio, mas alertou que a situação não está totalmente normalizada. O vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Maciel Oliveira, ressaltou que o aumento da vazão, nesse momento, tem uma importância significativa pelo fato de ser, este, o período de reprodução das espécies lacustres.

O presidente do CBHSF, Anivaldo Miranda, apresentou informações importantes durante a reunião. Miranda lembrou que os impactos na região do Baixo São Francisco foram muito severos no período da forte crise hídrica que atingiu a bacia do Velho Chico nos últimos seis anos. “E o aumento da vazão é o mínimo que pode ser feito para a recomposição da biodiversidade”, disse. “Além disso, o Baixo sofre fortemente com a intrusão salina”, acrescentou Miranda.

Avanço da salinidade

O presidente do Comitê aproveitou a oportunidade para defender o aprofundamento dos estudos com vistas a entender os impactos provocados pela intrusão salina. “E o CBHSF fez uma grande reunião com vistas a criar uma rede de monitoramento da qualidade da água. Existe um acordo com a ANA para dar início a esse processo de forma efetiva. O CBHSF já iniciou esse processo, através das tratativas, e agora é o momento de efetivar esses entendimentos. Iremos visitar a presidente da ANA para viabilizarmos a questão”, disse Anivaldo Miranda.

Ainda durante a reunião, a equipe técnicas do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) apresentou a projeção quanto ao registro de chuvas na bacia do São Francisco para os próximos dias. A perspectiva é que a precipitação seja praticamente nula durante esse mês.

O acompanhamento dos reservatórios aponta para o acúmulo de 55% de volume útil no reservatório de Três Marias, em Minas Gerais; de 35% em Sobradinho, na Bahia e de 30% em Itaparica, em Pernambuco. A próxima reunião da ANA com o mesmo objetivo acontecerá no dia 21, a partir das 10h, horário de Brasília.

Fonte: Ascom CBHSF