Roger Machado destaca garra do Bahia e valoriza empate com xará do interior

Nesse domingo (14), Bahia empatou com o Bahia de Feira, no Joia da Princesa, por 1 a 1 no primeiro jogo da final do Campeonato Baiano. A partida foi a segunda do técnico Roger Machado à frente da equipe e o segundo jogo no qual o time marca um gol nos minutos finais.

Em entrevista coletiva, o treinador comentou sobre o gol feito sobre o Tremendão aos 52 minutos do segundo tempo e lembrou da partida anterior, na qual o tricolor venceu o CRB, pela Copa do Brasil, ao balançar as redes no último minuto do jogo.

Tem que ter o coração forte para vir trabalhar no Bahia. O bom disso tudo é que o torcedor acredita até o último minuto, porque o que a gente costuma ver em outros lugares, quando vai chegando perto do final, faltando 10 minutos, que o time ainda não conseguiu o gol da vitória ou empate, a impaciência do torcedor acaba atrapalhando as nossas ações, acelerando muitas vezes as ações dentro de campo. E com essa característica, que para mim é maravilhosa do nosso torcedor de esperar até o final, nos dá sempre o otimismo e a confiança de que a gente vai fazer o gol como hoje. Pode ter absoluta certeza, meu torcedor, que isso impacta no ânimo à beira do campo para escolher as melhores opções para entrar em campo. Se eu tenho a confiança e a certeza que meu torcedor está junto com a gente, esperançoso, confiante, de que o triunfo vai vir até o último minuto de jogo, dentro de campo eu também me torno mais corajoso da mesma forma que o torcedor na arquibancada”, afirmou.

Na oportunidade, o técnico também falou sobre a conversa que teve com o autor do gol da partida diante do Bahia de Feira, Rogério, quando chegou ao Fazendão. O atacante vem sendo criticado pela torcida desde a sua contratação no começo da temporada.

Quando a gente está jogando, a gente está feliz. Fui atleta por 20 anos e a gente sabe. Quando a gente não está jogando, temos a consciência, em vários momentos que a gente poderia ter oferecido mais. Em nenhum momento, o Rogério esmoreceu nesses 10 dias que eu estou no clube. Treinando muito forte. Logo no início, se não me engano, foi o primeiro atleta com quem eu conversei. Eu salientava que sabia o que estava ocorrendo, que em alguns jogos ele tinha entrado e a impaciência do torcedor, a cobrança do torcedor pelo rendimento maior, muitas vezes estava prejudicando o seu rendimento. Ele sempre se demonstrou confiante para entrar em campo”, esclareceu.

Na coletiva, o comandante elogiou a partida do Bahia de Feira. No jogo, o time da casa pressionou os visitantes, abriu o placar no primeiro tempo e ainda ampliou o marcador no início do segundo tempo, mas o gol foi anulado pelo Árbitro de Vídeo (VAR). Os mandantes tiveram um jogador expulso na segunda etapa, o que foi determinante para o crescimento do tricolor no confronto.

Chegou por méritos nessa decisão de campeonato com um time forte nos enfrentamentos individuais. É um time que é hábil com a bola nos pés e que tem vitória pessoal do meio para à frente. É muito bem treinado, muito bem organizado, com uma intensidade muito forte. O empate num primeiro jogo de uma decisão, fora de casa, sempre pode considerar um bom resultado para decidir dentro da nossa casa”, concluiu.

Os dois times voltam a se enfrentar no próximo domingo (21), às 16h (de Brasília), na Arena Fonte Nova. A taça vai ficar com o time que vencer a partida, outro empate leva a partida para os pênaltis. Antes da decisão, o tricolor de aço vai receber o Londrina, pela Copa do Brasil, às 20h, desta quinta-feira (18).





Fonte: 90min