Respaldado: CBF explica confiança em Vadão no comando da Seleção Feminina

​Restando pouco menos de um mês para o início da Copa do Mundo Feminina, a Seleção Brasileira segue levantando mais dúvida do que euforia entre torcedores. Completamente distanciada da primeira prateleira de equipes, ​onde se situam as favoritas ao título, a Canarinho vive a instabilidade dos péssimos resultados consecutivos e de uma evidente ‘queda de braço’ de bastidores, já que CBF e liderança do ​futebol feminino parecem estar em posições totalmente distintas no campo das ideias.

Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

Ao todo, a Seleção Brasileira somou dez derrotas nos últimos onze jogos disputados, sendo nove reveses consecutivos. A única vitória neste recorte temporal veio em um jogo-treino não oficial, contra o Canadá. Tal cenário seria impensável a nível de clubes ou seleção masculina, o que nos faz questionar: por qual motivo há tamanha tolerância com Vadão, se ​por muito menos a ​ex-treinadora Emily Lima foi demitida da comissão técnica verde e amarela?

Em entrevista concedida ao ​UOL Esportes, o coordenador Mauro Aurélio Cunha, representante da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), tentou justificar o que parece injustificável: “O Vadão conquistou o torneio da China, conquistou a Copa América de maneira invicta, classificou o Brasil para Copa do Mundo e Olimpíada do Japão. Perdeu para grandes potências do futebol feminino e com placares apertados. Nós jogamos contra as melhores seleções do mundo, todas top 5, top 6, top 7”, afirmou o cartola.

FBL-TOURNAMENT OF NATIONS-WOMEN-AUS-BRA

Na torneio chinês citado por Mauro Aurélio (Copa CFA), o Brasil sagrou-se campeão batendo seleções de menor escalão como México e Coréia do Norte. No único jogo complicado da competição, empate por 2 a 2 contra as donas da casa. Há verdade quando o dirigente fala em compromissos complicados contra seleções de primeiro nível, mas é preciso lembrar que a Canarinho foi derrotada também por Espanha e Escócia, seleções que estão abaixo do Brasil no ranking de seleções femininas.

Aos maus resultados, é preciso somar as escolhas questionáveis a nível técnico, tático e de convocação por parte da comissão técnica. Vadão tem negligenciado bons valores que brilharam no Brasileirão de 2018, como Yasmim (​Corinthians) e Brena (​Santos), optando por improvisações e sistemas que nitidamente não rendem. Com a benção da CBF para tudo isso, nos resta torcer para que a última competição das craques ​Formiga, Marta e Cristiane atuando juntas, não termine como um vexame histórico.

FBL-WC-2015-WOMEN-MATCH41-BRA-AUS





Fonte: 90min