“O presidente me deu pena”, afirma pastor que casou Eduardo Bolsonaro

Pastor Pedrão em entrevista ao Conversa com Bial (Divulgação / Globo)
Pastor Pedrão em entrevista ao Conversa com Bial (Divulgação / Globo)

Na edição desta terça-feira (25), o apresentador Pedro Bial recebeu o pastor Pedrão, líder da Comunidade Batista do Rio de Janeiro, e o padre Juarez de Castro para um debate sobre a religião e seus tabus no Conversa com Bial.

Conhecido por ter celebrado a união do deputado federal Eduardo Bolsonaro com Heloísa Wolf, em maio deste ano, Pedrão recordou no programa global as palavras que disse aos noivos no momento do enlace. “Parafraseando nosso presidente, eu vou dizer: Deus acima de tudo e, hoje, Eduardo e Heloísa acima de todos”, destacou.

Na ocasião, o sacerdote evangélico também conseguiu trocar algumas palavras com o presidente Jair Bolsonaro. “Bati um papo brevemente. Ele foi muito gentil, muito simpático, é uma pessoa simples no trato. Eu cheguei para ele, no ouvido, e falei: ‘Força na peruca, fica firme, o povo está contigo’. Ele falou: ‘Você não tem ideia do que eu estou passando’. Confesso que me deu pena”, relatou.

Embora tenha se admitido eleitor de Bolsonaro, Pedrão não poupou críticas à forma como o eleitor e os representantes políticos do cristianismo protestante têm se relacionado com as questões de interesse da sociedade.

“Hoje são 50 milhões de evangélicos que não fazem a menor diferença no nosso Brasil. Não diminuiu o índice de criminalidade, aborto, divórcio, é sinal que esse tipo de evangélico não está fazendo o impacto que deveria fazer na sociedade. Você tem uma bancada onde vários evangélicos foram presos, quer dizer, tem pessoas que usa o nome de Jesus inadvertidamente. Ou seja, são simpatizantes, mas não vivem”, disparou.



Fonte: Observatório da TV