Viviane Araújo rememora que iniciou na TV por conta do carnaval

Viviane Araujo na época da novela O Sétimo Guardião, onde viveu Neide
Viviane Araujo na época da novela O Sétimo Guardião, onde viveu Neide (Foto:Globo/Estevam Avellar)

Viviane Araújo e o sertanejo Sorocaba participam do programa Tamanho Família deste domingo (16), na Globo. Em conversa com o apresentador Márcio Garcia, a atriz e rainha de bateria rememora que foi o samba que abriu as portas para ela dentro da televisão brasileira.

Eu venho do
carnaval e consegui entrar na TV por conta do carnaval. Em 1999, fui musa da
avenida, aí fui chamada para fazer a’ Escolinha’, depois veio o ‘Zorra’,
algumas participações em minisséries, até que fiz ‘Império’, minha primeira
novela
”, orgulha-se Viviane.

Para enfrentar as
provas da atração, a artista conta com a ajuda do irmão Rodrigo, a prima
Bianca e a mãe Neusa. Ao falar do pai, ela fala que aprender a
dançar e depois a tocar tamborim sozinha por influência dele. “Desde criança
sempre gostei de samba. Mas onde eu me encontrei dentro do carnaval foi no
Salgueiro. Foi como encontrar a tampa da panela
”, define.

Ao lado do primo Fábio
e das irmãs Karina e Juliana, Sorocaba fala que ganhou seu
primeiro violão dos avós, na época em que vivia no rancho da família. “As
primeiras músicas que fiz eram paródias para irritar minhas irmãs
”, explica
o cantor e compositor, que já teve músicas gravadas por Luan Santana,
Chitãozinho & Xororó, entre outros.

Dividindo com Viviane a paixão pelas multidões, o músico fala sobre a sensação de ver uma plateia de show lotada: “Ver a música sendo cantada por todo aquele povo é uma sensação maravilhosa”.

Momento difícil para Sorocaba

O sertanejo fala ainda de seu sentimento quando descobriu o câncer
na tireoide. “Foi um susto, no ápice da carreira. Mas o trabalho me moveu e
não parei. Precisava reverter aquilo de uma forma positiva e a gente focou em
algumas instituições para ajudar
”, lembra Sorocaba, que segue ajudando
outras vítimas da doença até hoje.

O cantor conta ainda
que a família mora na mesma vizinhança. “A gente mora todo mundo perto e tem
essa relação de proximidade por causa do meu avô. Comer junto, sentar à mesa,
juntar todo mundo, falar das alegrias, dividir as tristezas…



Fonte: Observatório da TV