Bittencourt completa um mês de Flu; salários e mudanças estruturais são o foco

​A eleição foi no dia 8 de junho, e a posse se deu dois dias depois. Ou seja, nesta quinta-feira, a gestão Mário Bittencourt completa um mês de trabalho efetivo à frente do ​Fluminense. Neste período, embora a contratação do goleiro Muriel e a recusa em vender o centroavante Pedro para o Flamengo (o clube bateu pé em só liberar o garoto para o rival pela multa rescisória), o Tricolor focou suas ações, também, fora das quatro linhas.

De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!

Colocar os salários de jogadores e funcionários em dia é um dos desafios mais urgentes da atual administração pó de arroz. Os dirigentes assumiram a instituição com dois meses de CLT, 13ª de 2018 e cinco meses de direitos de imagem em atraso. No último dia 5 de julho, uma folha foi quitada, evitando assim o aumento do débito. Para tanto, se utilizou o dinheiro proveniente de uma antecipação de bônus da venda do garoto João Pedro ao Watford, da Inglaterra. A expectativa é de que, nos próximos dias, o valor referente a mais um mês pingue na conta dos profissionais, amenizando um pouco mais este prejuízo.

Algumas mudanças estruturais também aconteceram neste período. O ex-volante Marcão foi o escolhido para ocupar o cargo de auxiliar técnico em substituição a Léo Percovich, que aceitou uma proposta do Middlesbrough, da Inglaterra. Além dele, outros três nomes conhecidos da torcida assumiram cargos em Xerém. Aílton passou a ser o responsável pelo time sub-20 e a transição para os profissionais. Já Duílio é o novo comandante do sub-17, enquanto Cadu está à frente do sub-15 – os cargos não existiam. Enquanto isso, Antônio Garcia assumiu a diretoria executiva do futebol de base no lugar de Marcelo Teixeira, e Rui Resinger foi nomeado como o novo vice-presidente da base.

Bittencourt também propôs a extinção da vice-presidência de futebol e de marketing e a criação das pastas de Governança e Compliance (sob a batuta de Newton de Souza Júnior), Ações Sociais (com Edmundo Fontenelle Coelho) e de relações institucionais (Alexey Dantas). Estas alterações ainda precisam de aprovação do Conselho Deliberativo, e a pauta será discutida no próximo dia 16.

Para mais notícias do Fluminense, clique ​aqui.





Fonte: 90min