Campeão da Libertadores pelo Grêmio revela ser “Vasco de coração” e sonha em defender o clube

A procura por uma camisa 9 continua de vento em popa em São Januário. Desde a saída de Maxi López, o ​Vasco da Gama vem “caçando” um substituto para o comando de ataque do esquadrão de Vanderlei Luxemburgo​. Nomes não param de ser oferecidos na Colina, tanto do mercado sul-americano quanto da Europa, porém a diretoria cruz-maltina espera um jogador sem custos, de, preferência, livre para negociar. 

De acordo com fontes de dentro do clube, alvos preferíveis para um camisa 9 são brasileiros no mercado asiático. Campeão da Libertadores com o Grêmio em 2017, Jael se transferiu há menos de um ano para o FC Tokyo, do Japão. Em entrevista ao ​canal “Atenção Vascaínos!”, o centroavante admitiu que é vascaíno de coração e pensa, sim, jogar em São Januário em breve

Jael

“Seria um sonho voltar para o Brasil e jogar no Vasco um dia, mas agora eu pretendo cumprir meu contrato aqui no Japão. Seria um sonho a ser realizado. Quem sabe um dia”, declarou o atacante de 30 anos. De acordo com o ​site Transfermarkt, especializado em valores de mercado do futebol, Jael tem vínculo com o FC Tokyo até janeiro de 2020, o que permitiria ao clube carioca assinar um pré-contrato com o atleta. 

Entretanto o próprio Jael enfatizou, em vídeo, que tem mais três temporadas no Japão, ou seja, é provável que tenha acordado uma renovação automática na capital. O jogador foi vendido pelo Grêmio em fevereiro por 500 mil dólares (cerca de R$ 1,8 milhão na cotação da época), valor totalmente pago ao clube gaúcho, que detinha 100% dos direitos econômicos do camisa 9. 

O atacante matogrossense tem um currículo extenso no futebol brasileiro e mundial. Jael já defendeu as cores de Criciúma (SC), Atlético-MG, Bahia, Portuguesa, Flamengo, Sport, Joinville, São Caetano, além do Grêmio. No exterior, passou pelo Seongnam, da Coreia do Sul, eo Chongqing Lifan, da China. 

Enquanto não tem um novo reforço para o ataque, Luxemburgo aposta no trio Marrony, Rossi e Tiago Reis. Nos treinos durante a parada para a Copa América, o treinador andou testando alternativas no setor, com os meias Bruno Henrique, Marquinho e Valdivia mais avançados, na função de “falso 9”. 





Fonte: 90min