De pavão misterioso a urubu agourento

0
De pavão misterioso a urubu agourento

Foi no que se transformou o ministro Sérgio Moro depois da revelação das mensagens trocadas entre o ex juiz e membros do Ministério Público Federal em Curitiba, ferindo gravemente a relação entre membros do judiciário e mostrando as entranhas de um poder podre, fétido e, no mínimo, corrupto.

Apesar de querer desqualificar as mensagens vazadas e mostradas pelo site Intercept Brasil em parceria com a revista Veja e o jornalão Estado de São Paulo e que tem o renomado e premiado jornalista americano Gleen Greeenwald como responsável, as evidências estão cada vez mais claras e o ministro se enrola numa teia de mentiras deixando exposto seu lado parcial sempre em prol de um crescimento em torno da seara política que tem o mal avaliado, incompetente e maluco presidente da república Jair Bolsonaro como líder.

Nas últimas mensagens vazadas, que tudo levar a crer que não houve em nenhum momento a ação de hackers que tornariam o vazamento ilegal, e sim próprios membros do MP em Curitiba, o apresentador Fausto Silva foi citado dando um conselho aos “nobres” membros do judiciário sobre o linguajar usado em entrevistas; o global já anunciou que realmente o fato aconteceu, confirmando a autenticidade das mensagens.

Em uma última ação desesperada na ânsia de conter o jornalista ianque agraciado com um Pulitizer (prêmio norte-americano outorgado a pessoas que realizam trabalhos de excelência na área do jornalismo, literatura e composição musical e administrado pela Universidade de Colúmbia, em Nova Iorque), Sérgio Moro colocou a PF e o Coaf no encalço do jornalista para vasculharem a vida e intimidarem o profissional para que o vazamento de mensagens tenha um fim.

No entanto, durante suas entrevistas, o jornalista americano – que é casado com um brasileiro – anunciou que nada o intimidará e que novas e explosivas mensagens entre os semideuses do judiciário virão à tona, para desespero de Moro e Dallagnol.

Vale lembrar que o ministro que também é conhecido como “marreco de Curitiba” usou ilegalmente o vazamento de mensagens entre os ex presidentes Dilma Roussef e Lula, inclusive repassando à Rede Globo de televisão, além de “grampear” ilegalmente os advogados que compõem a defesa do ex presidente petista.

Ainda atravessando uma fase de “lua de mel” politicamente, o governo Bolsonaro rui em desconfiança e descrédito perante a sociedade brasileira – fato inédito para um governo ainda em seu primeiro ano – e Sérgio Moro é o retrato desse governo que já nasceu incompetente e corrupto.