Erros defensivos se repetem e deixam Galo com “problemão” na Copa do Brasil

0

Se o primeiro gol do Cruzeiro no clássico contra o ​Atlético-MG, nesta quinta-feira, tem todos os méritos de Pedro Rocha, os outros dois se originaram em falhas do Galo. Quando a Raposa já estava em vantagem no placar, Réver entregou uma bola nos pés de Pedro Rocha, que saiu em velocidade, driblou Victor e deixou Thiago Neves livre para ampliar. Já na etapa final, Elias tentou sair jogando na intermediária e foi desarmado. A partir disso, sobrou qualidade para Robinho. Ao final da partida, os erros, que já não são uma novidade para a equipe comandada pelo técnico Rodrigo Santana, foram reconhecidos.

De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!

“Esse erro de hoje foi alertado. O primeiro gol que tomamos no primeiro jogo da final (do Campeonato Mineiro) foi mais ou menos dessa forma. Perdemos a bola na entrada da área e o adversário foi muito forte na marcação. Infelizmente, acabamos errando novamente”, disse o treinador, que deixou claro que não esperava largar com tamanha desvantagem no confronto com o rival pelas quartas de final da Copa do Brasil. “Mérito deles, que foram muito efetivos, principalmente nos dois gols que acabamos entregando.”

Ainda no vestiário do Mineirão, houve o reconhecimento de que a equipe poderia ter brigado um pouco mais. Ou seja, faltou competitividade. “Precisamos entrar firmes no meio de campo. Se fazemos isso, o adversário não vai conseguir jogar”, destacou o zagueiro Igor Rabello. Na próxima quarta-feira, se quiser avançar à semifinal da Copa do Brasil, o Atlético Mineiro terá que ganhar por quatro gols de diferença. Agora, se vencer pela mesma vantagem obtida pelo ​Cruzeiro, levará o duelo no Independência para os pênaltis. Antes, do domingo, tem jogo contra a ​Chapecoense, na Arena Condá, pelo Campeonato Brasileiro.

Para mais notícias do Atlético-MG, clique ​aqui.





Fonte: 90min