Fluminense quita mais uma folha atrasada e garante motivação extra para volta aos gramados

​Nada motiva mais do que dinheiro no bolso. Se esta máxima ainda vale para o futebol, a diretoria do ​Fluminense conseguiu injetar um ânimo novo no grupo de jogadores às vésperas da retomada do Campeonato Brasileiro. Na última quinta-feira, o clube quitou mais um mês de salário atrasado – o segundo desde o dia 11 de junho, quando Mário Bittencourt assumiu a presidência.

De torcedor para torcedor: clique aqui e siga o 90min no Instagram!

Para conseguir isso, dois fatores foram fundamentais. O primeiro tem relação direta com a venda do jovem João Pedro ao Watford, da Inglaterra. A negociação gerou um bônus de 1 milhão de euros (cerca de R$ 4,2 milhões) que entrou nos cofres tricolores. Além disso, os dirigentes estão com um olhar atento a processos de penhoras. Através de uma análise diária sobre quais deles, naquele momento, são os responsáveis pelo bloqueio das contas, se procura diretamente os envolvidos para um acordo e, consequentemente, há a retomada do fluxo de caixa.

Claro, ainda existem dívidas com funcionários e atletas. Um mês de CLT, 13º referente a 2018 e direitos de imagem de janeiro, fevereiro, março e junho precisam ser quitados. Ao mesmo tempo, existem tratativas com três possíveis novos patrocinadores, sendo um deles para ocupar o lugar mais nobre do uniforme. A expectativa é por um desfecho positivo em breve, o que automaticamente irá gerar o aporte de mais receitas ao Flu. Na próxima segunda-feira, o Tricolor retoma sua participação no Campeonato Brasileiro recebendo o ​Ceará, no Maracanã, a partir das 20h.

Para mais notícias do Fluminense, clique ​aqui.





Fonte: 90min