Palmeiras precisa vender jogador em 45 dias para não ter prejuízo de R$ 11,2 milhões

0

​Palmeiras tem um jogo importantíssimo na noite desta quarta-feira (10), quando enfrentará o Internacional no primeiro jogo das quartas de final da Copa do Brasil. O Verdão está com o foco total para essa partida decisiva e quer voltar da pausa da Copa América com o pé direito. O técnico palmeirense, Luiz Felipe Scolari, vai com o que tem de melhor para o confronto tão esperado.

FBL-LIBERTADORES-JUNIOR-PALMEIRAS

Fora de campo, a diretoria alviverde segue monitorando o mercado da bola em busca de uma oportunidade de negócio. Com um elenco recheado de opções, o clube paulista ainda entende que é preciso trazer um centroavante com renome. Com a saída de Ricardo Goulart, ficou uma lacuna aberta para esse tipo de contratação para o ataque. No entanto, o Palmeiras só deve investir em um novo reforço com a saída de um medalhão.

O jornalista Benjamin Back informou na tarde desta quarta-feira (10), durante o programa “Fox Sports Rádio”, que o Verdão precisa vender urgentemente o camisa 9 Miguel Borja para não ter um prejuízo milionário. Segundo o jornalista, se o colombiano não for negociado até o dia 17 de agosto, precisará pagar algo em torno de 3 milhões de dólares (cerca de R$ 11,2 milhões) ao Nacional de Medellin por causa de uma clausula imposta no contrato.

Quando o Alviverde comprou o colombiano do Nacional, ficou acordado que se o atacante não fosse vendido até a janela de transferências do meio do ano de 2019, o clube precisaria pagar o montante ao time de origem. Com isso, a diretoria espera por propostas para negociar de forma definitiva o jogador. Apesar de toda a pressão para sair do clube paulista, Borja já recusou quatro ofertas e espera por uma proposta mais vantajosa.





Fonte: 90min