Alunos são atacados com machadinha no Rio Grande do Sul

Um adolescente, de idade ainda não identificada, invadiu o Instituto Estadual de Educação Assis Chateaubriand, no bairro Vila Aços Finos Piratini, em , no e atacou três alunos e uma professora do local com uma machadinha na tarde desta quarta.

Duas estudantes, um aluno e a educadora foram feridos por golpes da arma branca e encaminhados para o Hospital de Charqueadas. De acordo com o chefe do Corpo de Bombeiros Voluntários, Maurico Naatz, eles foram atingidos “na cabeça, mãos, costas e pernas” e estão em estado regular, sem risco de perder a vida.

O agressor fugiu do local.

Ainda não há informações sobre vínculo com a escola.

“Recebemos um chamado de funcionários alertando que um jovem teria invadido a escola com uma machadinha e fez vítimas. Entramos em contato com a Brigada Militar para saber se precisavam de algum apoio. Deslocamos nossa unidade com três bombeiros”, explicou Naatz. “A comunidade está bem assustada e a polícia realiza buscas nos arredores, mas ainda sem sucesso”, completou.

Uma funcionária, que preferiu não ser identificada, disse que o jovem entrou nas dependências pulando a cerca e que portava também uma espécie de coquetel molotov. “Bem aquelas coisas que a gente vê na TV. Foi horrível. Está todo mundo assustado”, disse, com a voz trêmula. O chefe do Corpo de Bombeiros Voluntários não confirma a existência da arma, mas relata que o agressor portava um galão de gasolina e tentou atear fogo um ambiente. “Espalhou por uma das salas e deu golpes num painel elétrico para ver se conseguia causar um incêndio, mas não conseguiu”, comentou.

Além dos quatro feridos encaminhados para o hospital, a Brigada Militar de Charqueadas informa que outras pessoas ficaram machucadas ao tentarem fugir do local. Buscas são realizadas na região para encontrar o responsável pelo ataque.

Segundo dados da plataforma Qedu, iniciativa desenvolvida pela Meritt e Fundação Lemann que reúne informações obtidas de fontes oficiais do governo brasileiro, como a Prova Brasil, o Censo Escolar e indicadores especiais do Inep, 65 pessoas trabalham no local. Conforme o levantamento, a escola tem 526 matrículas no ensino médio, 67 nos iniciais (1ª a 4ª série ou 1º ao 5º ano) e 93 nos anos finais (5ª a 8ª série ou 6º ao 9º).

Em 28 de novembro de 2018, um adolescente de 17 anos morreu após ser esfaqueado em frente ao instituto De acordo com a polícia, ele estava em frente a escola quando um homem de 20 anos o atingiu no tórax e no abdômen. O assassino fugiu.

Fonte: www.correiodopovo.com.br