Alagoas não tem índices atualizados de poluição do ar; saiba como evitar problemas respiratórios

A Organização Mundial de Saúde (OMS) já alertou que a poluição do ar representa atualmente o maior risco ambiental para saúde. De acordo com um novo estudo feito pela entidade, nove em cada dez pessoas no planeta respiram ar com altos níveis de poluentes; isso representa 90% da população mundial.

Por causa dessa contaminação, anualmente 7 milhões de mortes por doenças relacionadas a esses poluentes são registradas, como câncer de pulmão, AVC e asma, segundo dados coletados em mais de 4.300 cidades em 108 países.

Os dados incluem o Brasil, porém, o que muda é que em muitos estados não há índices atualizados para afirmar os dados. Esse é o caso de Alagoas. Na região não há equipamentos que permitam ao cidadão ter acesso a esse tipo de informação e o último estudo realizado nesse sentido data de 2015. O que se sabe é que, onde há um grande fluxo de veículos, a tendência é que a qualidade do ar seja inferior à desejada.

O Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites (Lapis) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) faz uma medição semanal da poluição do ar nas avenidas da capital, com dados que são colhidos junto a satélites de Pernambuco e da Europa. Mas as informações colhidas são vagas e não trazem a precisão que seria necessária para que as pessoas pudessem evitar ter contato, nos dias mais críticos, com o ar poluído, afinal, eles são extremamente prejudiciais à saúde.

Já que ainda não é possível ter acesso às informações sobre a qualidade do ar, como acontece com a previsão do tempo, alguns cuidados diários podem ajudar na prevenção contra doenças causadas pelos problemas. Confira como evitar problemas respiratórios:

  • Beba bastante água: o ideal é ingerir dois litros de água por dia para manter o organismo hidratado e as vias respiratórias devidamente umedecidas. Recomenda-se variar os líquidos entre água, sucos, água de coco e chás;
  • Faça limpeza nasal com solução fisiológica ao menos duas vezes ao dia;
  • Troque a roupa de cama a cada semana. Afinal, é importante evitar os fatores que desencadeiam a rinite, como poeira, ácaros, mofo, pólen ou pelos de animais domésticos, por exemplo;
  • Evite usar tapete em casa: em caso de ambientes acarpetados e móveis estofados, faça limpeza com soluções bactericidas;
  • Guarde brinquedos de pelúcia em embalagens a vácuo depois de devida higienização;
  • Evite ambientes fechados e aglomerações;
  • Mantenha a casa limpa – de preferência com aspirador de pó – e os ambientes sempre arejados e mais úmidos, para isso vale utilizar um purificador de ar. Lembre-se de manter a casa aberta também de forma a permitir ventilação e entrada de luz solar, o que evita a formação de fungos;
  • Evite fumar, principalmente em ambientes fechados;
  • Pratique atividades físicas preferencialmente antes das 10h e após as 16h quando o tempo está menos seco.