Crise? 7 grandes do futebol europeu que vivem péssimo início de temporada

Bom orçamento, torcida participativa, equipe competitiva… Estes fatores costumam ser essenciais para se chegar a uma temporada bem-sucedida. Mas o futebol passa longe de ser uma ciência exata, não à toa muitos clubes com grande receita, estádio cheio e elencos bons no papel não estão prosperando neste início de 2019/20 no Velho Continente. Com base na lista original do ​Blog do Rafael Reis, confira 7 equipes grande do futebol europeu que estão fazendo feio neste começo de temporada:

Valencia (ESP)

Geoffrey Kondogbia

O Valencia foi finalista da ​Champions duas vezes nas últimas duas décadas (2000 e 2001), e quase sempre emplaca campanhas bem sólidas no Espanhol. Na temporada passada, bateu o Barcelona na grande final da Copa do Rei, aumentando as expectativas de seu torcedor para 2019/20. Apesar dos prognósticos positivos, 2019/20 tem sido frustrante e tumultuado para os valencianos, que perderam seu treinador, Marcelino Toral, por desavenças de bastidores. Como resultado, o clube valenciano ocupa atualmente a modestíssima 13ª posição em La Liga.


Tottenham (ING)

Crvena Zvezda v Tottenham Hotspur: Group B - UEFA Champions League

Atual vice-campeão europeu, o Tottenham também passou por momentos de crise interna, com jogadores e comissão técnica ‘deixando de falar a mesma língua’. O relacionamento conturbado entre Pochettino e algumas referências do elenco, ​como Christian Eriksen, atingem em cheio o desempenho do clube londrino em âmbito nacional, que não sabe o que é vitória pela Premier League há mais de um mês e ocupa atualmente a 11ª posição da tabela de classificação. Na Champions, está em boa situação para avançar ao mata-mata, mas foi protagonista negativo da maior goleada da competição até aqui: 7 a 2 para o Bayern de Munique.


Lyon (FRA)

FBL-EUR-C1-LYON-BENFICA

Recheado de jovens talentos e tendo um ídolo histórico à frente de seu departamento de futebol (Juninho Pernambucano), o Lyon iniciou a temporada envolto de grande expectativa. Porém, é como diz o ditado: quanto maior a altura, maior a queda. Seu começo de temporada em solo francês foi pavoroso, culminando na demissão quase instantânea de Sylvinho. Agora, com Rudi Garcia, o Lyon começa a reencontrar o bom futebol e tenta emplacar uma campanha de recuperação na Ligue 1, mas já se vê distante dos primeiros: é apenas o décimo colocado.


Milan (ITA)

Rafael Leao

Segundo maior campeão europeu, o Milan parece continuar perdido em sua busca pelo retorno aos tempos de glória. Sem conquistar o Italiano desde 2011, o gigante rossonero já passou por uma troca em sua comissão técnica e soma apenas quatro vitórias nas onze partidas oficiais que disputou neste início de temporada 2019/20. Vale lembrar que o calendário milanista está bem esvaziado, já que o clube teve que abrir mão de sua vaga na Europa League por conta de uma sanção da FIFA (Fair Play Financeiro).


Feyenoord (HOL)

Kenneth Vermeer

Campeão europeu em 1969/70, o clube de Roterdã é apontado como a terceira força do futebol holandês, atrás de PSV e Ajax. O grande problema é que o Feyenoord, com exceção de 2017, tem encontrado enormes dificuldades de competir com os dois gigantes citados. Seu começo de 2019/20 é pra lá de decepcionante, ocupando apenas a décima posição da Eredivisie e não oferecendo resistência nos confrontos diretos. Foi recentemente derrotado pelo Ajax por 4 a 0, placar construído pelo time da capital com enorme naturalidade, ainda no primeiro tempo.


Monaco (FRA)

FBL-FRA-LCUP-MONACO-MARSEILLE

Quem se lembra do Monaco ‘voando’ em 2016/17, ano em destroçou a supremacia nacional do Paris Saint-Germain, até estranha ao ver a situação de momento do clube do Principado. Na temporada passada, só conseguiu escapar do rebaixamento na última rodada da Ligue 1. O flerte com a queda à segunda divisão perdura em 2019/20, já que a equipe ocupa atualmente a 15ª posição, estando a apenas três pontos de distância da equipe que abre a zona da degola.


Manchester United (ING)

Marcus Rashford

Até o início desta década, o futebol inglês era praticamente dominado pelo Manchester United, maior campeão nacional. Mas desde a aposentadoria de Sir. Alex Ferguson, maior treinador da história do clube, os ‘Diabos Vermelhos’ parecem não ter forças para voltar aos trilhos. Sem conseguir competir com seus dois maiores rivais, Manchester City e Liverpool, o tricampeão europeu tem sido coadjuvante ano após ano. Em 2019/20, sua situação na Premier League é bizarra para seu tamanho: ocupa a décima posição, com menos da metade dos pontos do l

Let’s block ads! (Why?)



Fonte: 90min