FPI/SE flagra centro de visitantes irregular na Grota do Angico em SE

Local histórico fica dentro da unidade de conservação Estadual Monumento Natural , é tombada pelo patrimônio histórico estadual e estudada pelo IPHAN para tombamento federal

A Fiscalização Preventiva Integrada em (/SE) flagrou o início da construção irregular de um centro de visitantes e de um cercamento há 200 metros da Grota do Angico, em Canindé do São Francisco. No local histórico onde foram mortos Lampião, Maria Bonita e mais 12 cangaceiros estava sendo feita uma picada (abertura de trilha na mata) e o cercamento de uma área para construção de um centro de visitantes.

Todas as intervenções são irregulares pois o local faz parte do Monumento Natural Grota do Angico que é uma unidade de conservação Estadual, é tombado pelo patrimônio histórico estadual e e está em processo de tombamento pelo patrimônio histórico nacional. O flagrante foi realizado em fiscalização da equipe Flora em parceria com a equipe Espeleologia e Arqueologia da FPI.

A procuradora da República Lívia Tinôco, coordenadora da FPI, acompanhou o flagrante. “O local da picada fica a menos de 200 metros da Grota do Angico e estava sendo construído de à luz do dia. No local já havia freezers e outros equipamentos para o centro de visitantes irregular.” destacou. A procuradora informou ainda que o flagrante terá desdobramento criminal, pois a lei proíbe que se cause dano a unidades de conservação.

Coordenador da Equipe Flora, o engenheiro florestal Elisio Marinho Neto informou que os responsáveis pela construção foram notificados e receberam prazo de sete dias para retirar as estruturas e equipamentos irregulares do local. O mais grave é que segundo os trabalhadores que executavam a obra, a determinação partiu de um irmão de membro do Conselho Gestor da unidade de conservação, portanto de pessoa com amplo conhecimento da ilegalidade.

A FPI/SE é coordenada pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal e pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

A equipe Flora é formada por técnicos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (SEDURBS), da Administração Estadual do Meio Ambiente de Sergipe (Adema) e por integrantes do Pelotão Ambiental da Polícia Militar.

A equipe Espeleologia e Arqueologia é formada por técnicos da Centro da Terra- Grupo Espeleológico de Sergipe (CT/SE), Museu de Arqueologia de Xingó (MAX/UFS), Ministério Público Federal em Sergipe (MPF), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Grupamento Tático Aéreo (GTA/SE), Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBM/SE).

Ascom FPI/SE