Esse crime, como todos sabem, foi de mando com conotação política e, dos acusados, três estão mantidos no sistema prisional, que são o ex-marido da prefeita, acusada de ser a mandante, e os responsáveis pelos disparos. Hoje julgaremos o homem responsável pela contratação dos pistoleiros, o que intermediou valores e garantiu a consumação do assassinato com sua negociação. O Ministério Público vai mostrar que , como os demais, também é responsável e deve pagar pelo crime cometido”, afirma a promotora Martha Bueno.

O vereador, que também era cirurgião e professor universitário foi emboscado no dia 3 de setembro de 2011 após deixar uma rádio comunitária, em Maribondo, cidade vizinha, Maribondo, pela qual levava serviços de prevenção à população. Interceptado na rodovia, a vítima foi atingida com mais de 12 tiros todos direcionados à cabeça.

Durante as investigações a polícia chegou à conclusão de que a ex-prefeita Sânia Teresa e o ex-marido, Alessander Ferreira Leal, teriam sido os autores intelectuais. Julgados e condenados receberam as seguintes penas: Alessander Ferreira Leal a 32 anos e 7 meses. Tiago dos Santos Campos a 30 anos e 10 meses, e Everton Santos de Almeida a 32 anos e 3 meses de prisão.

À época, Adailton Ferreira (julgado nesta segunda-feira) e Sânia Teresa recorreram e não foram julgados, enquanto Wallemberg Torres da Silva, outro acusado de efetuar os disparos, foragiu.

Nove dias após a execução bárbara, a ex-prefeita, um primo e policial (que era seu segurança), identificado como Cláudio Magalhães da Silva, e o ex-marido foram presos

O processo contra Sâmia Teresa é mantido em recurso especial no Supremo Tribunal de Justiça.

Assessoria Ministério Público

Comentários