há 20 anos, Florentino Pérez chocava o mundo e dava vida ao ‘galáctico’ Real


A chegada de Florentino Pérez ao Real Madrid há 20 anos foi um antes e um depois no futebol. O presidente do clube branco desembarcou no Santiago Bernabéu de mãos dadas com Luis Figo para sentar à mesa e anunciar ao mundo o nascimento dos galácticos.

O documentário ‘Galácticos’, produzido pela ESPN, estreia nesta quarta-feira (24), com os três episódios sendo exibidos em sequência a partir das 19h30 (horário de Brasília) na ESPN e no ESPN App.

O objetivo era catapultar o clube espanhol para uma nova dimensão, para fazê-lo transcender além do campo. Florentino queria títulos, mas também resultados do ponto de vista empresarial.

A tática para isso foi contratar os jogadores mais populares do momento, a começar com Figo, a estrela do Barcelona, ​​o rival por excelência do Real Madrid, pois uma figura até então desconhecida no mundo do futebol foi sua carta de apresentação .

O meia português chegou no dia 24 de julho de 2000 para abrir caminho às chegadas posteriores de Zinedine Zidane, Ronaldo Fenômeno e David Beckham.

Florentino renunciou em fevereiro de 2006 depois que os resultados em campo não foram tão bons quanto os prometidos por um grande investimento. No entanto, Florentino gastou cerca de 215 milhões para reunir os quatro galáticos durante os primeiros quatro verões no Santiago Bernabéu. Depois, outras estrelas como Michael Owen e jovens como Sergio Ramos chegaram para tentar acompanhar os galácticos, mas a equipe acumulou três temporadas para esquecer, entre 2003 e 2006.

Luis Figo

A transferência de Figo de Barcelona para Madrid em troca de 60 milhões de euros. O então capitão do Barça negou repetidamente que iria usar branco, mas finalmente aceitou o desafio de trocar o Camp Nou pelo Santiago Bernabéu.

O capitão do Barcelona quase não teve outra opção devido a um acordo que o seu próprio agente, José Veiga, tinha feito com Florentino. Na verdade, o empresário estava tão convencido que veio garantir que pagaria um ano dos sócios do clube madrilenhos se o português não assinasse pelo clube da capital espanhola.

Assim, Figo se tornou a contratação mais cara da história do futebol, superando os 55 milhões que a Lazio havia pago ao Parma por Hernan Crespo. Figo jogou 245 partidas pelo Real Madrid de 2000 a 2005, marcou 57 gols, deu 76 assistências e seu recorde se resume em duas LaLiga, duas Supertaças da Espanha, uma Uefa Champions League, uma Supercopa da Europa e um Mundial de Clubes.

Zinedine Zidane

Zinedine Zidane foi o segundo galáctico de Florentino e a Juventus, o segundo clube a se dar conta das artes de sedução de Florentino. O meia era a alma da seleção francesa e também se tornou a transferência mais cara da história, depois que o Real Madrid pagou 74 milhões de euros por seus serviços.

O francês será sempre lembrado pelo golaço que marcou na final Liga dos Campeões em Hampden Park, em Glasgow, contra o Bayer Leverkusen. Zidane acertou um lendário voleio que ajudou o Real a erguer a nona Champions League.

Ronaldo Fenômeno

Ronaldo foi a cara engraçada e travessa dos galácticos. O Real Madrid pagou 45 milhões de euros à Inter de Milão e pousou na capital da Espanha depois de disputar uma Copa do Mundo de 2002, na Coréia e no Japão, mas com algumas dúvidas sobre o joelho direito depois de quebrar o tendão patelar em 2000.

Ronaldo estreou vindo do banco frente ao Alavés e segundos depois de entrar em campo marcou o primeiro gol. Duas ligas e tantas Supertaças espanholas foram sua bagagem em nível nacional, enquanto fora do território espanhol, ele apenas levantou uma Copa Intercontinental com a camisa do Madrid.

David Beckham

David Beckham foi a cereja do bolo. O Barcelona de Joan Laporta anunciou um acordo com o Manchester United para conseguir sua contratação, mas o inglês optou por usar branco e veio ao custo de 35 milhões de euros.

Florentino via o astro inglês como o representante perfeito de seu modelo, um jogador de futebol que brilhou no campo e nas passarelas, capaz de marcar incríveis gols de falta, mas também de vender mais camisetas do que qualquer outro e de levar a marca madrilenha para o resto dos continentes.

O clube branco aumentou consideravelmente suas receitas graças a Beckham, mas sua chegada, que coincidiu com a saída de Makelele, não teve o sucesso esperado em campo e, três anos depois, acabou levando à renúncia de Florentino.

Beckham jogou 159 partidas pelo Real Madrid, marcou 20 gols e deu 52 assistências. No entanto, ele só conquistou a Supertaça da Espanha em sua primeira temporada e a La Liga em 2007, já sem Florentino.

Fonte: ESPN

Comentários