Juiz e historiador Claudemiro Avelino contribuirá com acervo do Museu do STF

O Museu do Supremo Tribunal Federal (STF) contará com a colaboração do juiz e historiador Claudemiro Avelino para ampliação de seu acervo. O magistrado foi convidado pela Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) para integrar grupo de trabalho que está levantando materiais históricos dos tribunais, associações e da magistratura brasileira.

A vasta experiência em pesquisas sobre o Judiciário brasileiro e alagoano do magistrado possibilitou a criação do Centro de Cultura e Memória do Poder Judiciário de Alagoas, inaugurado, em janeiro deste ano, pelo então presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Tutmés Airan de Albuquerque.

”O convite surgiu depois que eles souberam desse trabalho nosso aqui. Nós utilizamos o aspecto da interconectividade, que deixou mais interativo, com multimídia para fazer a apresentação do museu para a sociedade. Esse método já é feito em vários outros museus do país e não quisemos ficar para trás, lutamos para ter esse aspecto multimídia, sobretudo para atrair a turma mais jovem”, comentou.

O magistrado Claudemiro Avelino é o curador do Centro de Cultura e Memória da Justiça de Alagoas. A montagem do museu teve consultoria técnica da arquiteta Adriana Guimarães, que atua na área de preservação e restauração de patrimônio cultural, e também da arquiteta Carla Cansanção. O projeto arquitetônico de reforma do prédio centenário foi realizado pelas arquitetas Cláudia Lisboa e Clarice Gavazza. A servidora, Irina Costa, coordena o museu.

O museu do TJAL conta com o apoio do atual presidente, desembargador Klever Loureiro, que aguarda a liberação das autoridades sanitárias para autorizar a abertura para visitação gratuita do público.

Juiz Claudemiro Avelino é o curador do Centro de Cultura e Memória do Poder Judiciário de Alagoas. Foto: Caio Loureiro

Acervo da AMB

Em visita realizada na semana passada, acompanhada pelo juiz Ney Alcântara, vice-presidente de Prerrogativas da AMB, o magistrado Claudemiro Avelino conheceu os materiais históricos da entidade de classe e deu início à catalogação dos bens e do acervo existente no arquivo.

”Dei sugestões na parte da estrutura do museológica em si e da exposição, falei sobre a necessidade de maquetes táteis, totens eletrônicos, telas de exibição, mandei separar os documentários históricos que a AMB já tem em seus arquivos e estamos movimentando a turma para conseguirmos montar o espaço à altura do que a AMB merece”, contou o magistrado.

Museu do STF

O Museu do STF foi inaugurado em 18 de setembro de 1978, data comemorativa dos 150 anos da Corte, e atualmente encontra-se em processo de ampliação. Seu acervo é composto por condecorações, documentos e móveis históricos, fotografias e objetos museológicos como presentes protocolares, tapeçarias, vestimentas, objetos de uso pessoal de ministros e obras de arte.

 

Robertta Farias – Dicom TJAL
imprensa@tjal.jus.br
Comentários