Os esnobados do Jogo das Estrelas: quem merecia vaga?

Todos os anos a NBA acaba deixando algum grande nome de fora do All Star Game, mas em 2020-21 muitos ficaram de fora. Quem são os jogadores que mereciam vaga na edição do Jogo das Estrelas e acabaram sendo esnobados? Listamos os principais nomes.

 

Esnobados no Oeste

Merecia muito

Devin Booker

Depois de participar do Jogo das Estrelas na temporada passada, o astro do Phoenix Suns é um dos nomes mais fortes para substituir o lesionado Anthony Davis. No entanto, a surpresa ficou por não ter sido apontado entre os sete reservas. Ele até caiu um pouco em números absolutos em relação aos anos anteriores, mas o aproveitamento e o Suns brigando pelos primeiros lugares do Oeste credenciam Booker ao lugar de Davis.

De’Aaron Fox

O armador do Sacramento Kings vem sendo o grande nome da equipe que luta para sair dos últimos lugares do Oeste há algum tempo. Fox já sustenta números para brigar por uma vaga no Jogo das Estrelas. Faltam consistência e uma campanha mais convincente do Kings.

Mike Conley

Nem tanto por seus números (16.4 pontos e 5.6 assistências), mas Mike Conley merecia uma vaga no Jogo das Estrelas na carreira. Se não vai agora, dificilmente terá nova oportunidade. A campanha do Utah Jazz poderia fazer com que ele fosse convidado, assim como Kyle Korver e Jeff Teague já conseguiram atuar no All Star Game quando o Atlanta Hawks fez a melhor campanha, mas a concorrência é muito grande.

DeMar DeRozan

DeRozan não vai ao Jogo das Estrelas desde quando foi trocado pelo Toronto Raptors. Mas a campanha do San Antonio Spurs e seus próprios números poderiam fazer com que ele tivesse uma chance. Aos 31 anos, ainda tem chance de voltar a disputar o evento.

Fica para depois

Brandon Ingram

Ingram já foi para o Jogo das Estrelas no ano passado. Detalhe: com números muito parecidos. A questão é que, em 2020-21, Zion Williamson apareceu na lista. Por mais que o ala tenha estatísticas similares, outros jogadores subiram de produção, ao contrário dele. Terá tempo para voltar ao All Star Game múltiplas vezes.

Ja Morant

Eleito o melhor calouro da temporada passada, o armador do Memphis Grizzlies faz números similares aos de 2019-20. Pesam contra ele, porém, o fato de Morant ter se machucado e perdido quase 30% dos jogos, além do fato de ele não ter evoluído em alguns de seus problemas: defesa e arremesso de três (20.6% de aproveitamento). Precisa melhorar para ter chances no futuro.

Christian Wood

Tudo bem. Christian Wood está lesionado. Mas, mesmo dividindo tempo de quadra com DeMarcus Cousins (agora, dispensado), o pivô realizou grandes jogos e possui números suficientes para brigar por uma vaga. Caso estivesse saudável, Wood poderia ter seu nome mais clamado pelo público. Espere por uma segunda metade de temporada ainda melhor.

Jamal Murray

Na realidade, quando é esse depois? Jamal Murray nunca entrou em uma temporada com chances reais de ir ao Jogo das Estrelas do que em 2020-21. Se não foi agora, quando? Irregular, o canadense é capaz de fazer 50 pontos em um jogo e, no outro, converter dois em 13 arremessos.

Veja a live que o Jumper Brasil fez sobre os reservas indicados para o Jogo das Estrelas em seu canal no Youtube.

 

Esnobados no Leste

Merecia muito

Bam Adebayo

O pivô do Miami Heat foi para o Jogo das Estrelas no ano passado e faz números ainda melhores. Como, então, ele ficou de fora? Diferentemente da conferência Oeste, no Leste não tem ninguém machucado e ele não vai participar no evento. Chato, né?

Jimmy Butler

Butler tem um caso aqui. Ele poderia ser chamado, mas atuou em 19 das 31 partidas. Isso sempre pesa na hora de os técnicos selecionarem os reservas do Jogo das Estrelas. Ficou fora, mas com ele, o Miami Heat tem ótima campanha e o time está em franca recuperação.

Khris Middleton

Depois de dois anos seguidos no Jogo das Estrelas, Middleton perdeu sua vaga na melhor temporada da carreira. O fato de o Milwaukee Bucks não ser o líder do Leste, como nas temporadas anteriores, pode ter influenciado. Mas, também, é notório que estreantes no evento estão muito bem e, de quebra, chegou James Harden para concorrer por uma vaga no perímetro.

Domantas Sabonis

Se tem um nome que ainda não caiu a ficha foi Domantas Sabonis. Seus números são ainda melhores que em 2019-20, liderou o Indiana Pacers mesmo quando Victor Oladipo estava na equipe, mas seu auge na temporada passou e o time caiu de produção. Mas, sério, como assim? São 21.5 pontos, 11.6 rebotes, 5.7 assistências e 35.8% nos arremessos de três, melhor marca da carreira.

Jerami Grant

Por partes. Números, ele tem. São 23.5 pontos, 5.1 rebotes, 3.0 assistências. Melhor temporada da carreira, de longe. Jerami Grant vai brigar pelo prêmio de jogador que mais evoluiu e poderia entrar na lista dos reservas. A concorrência do Leste é forte, hein?

Gordon Hayward

Quando o Charlotte Hornets ofereceu a ele um salário astronômico, muita gente (eu, inclusive) criticou. Agora, a coisa começa a fazer algum sentido. Hayward faz números muito parecidos com os de sua última temporada no Utah Jazz, quando foi parar no Jogo das Estrelas. Faz 21.9 pontos, 5.4 rebotes, 3.7 assistências e aproveitamento de 42.4% em três pontos. Números de All Star. De novo, a concorrência.

Fica para depois

Trae Young

Depois de ir ao Jogo das Estrelas na temporada passada, Trae Young passou a sensação de que iria repetir a dose nos anos seguintes. Não que seus números (26.9 pontos, 9.5 assistências, 37.9% de aproveitamento de três) não sustentem uma ida ao All Star Game agora. Mas o Atlanta Hawks faz campanha bem abaixo do esperado e, no fim das contas, por toda a concorrência, pode ter pesado.

Fred VanVleet

O armador ou ala-armador do Toronto Raptors faz a melhor temporada da carreira e poderia aparecer entre os indicados como uma das surpresas para o evento. No entanto, seu nome possui pouco apelo, mesmo com números importantes.

 

Fim da linha?

Russell Westbrook

Não faz tanto tempo, mas Westbrook estava sempre cotado para o Jogo das Estrelas e, até mesmo, entre os titulares. O fim da passagem pelo Houston Rockets e o início de Washington Wizards fizeram com que ele perdesse espaço entre os principais nomes. Apenas recentemente, Westbrook passou a jogar melhor e o Wizards, com isso, cresceu de produção.



Fonte: https://www.lance.com.br/