Diakhaby, do Valencia, se manifesta pela primeira vez sobre caso de racismo: “Doeu muito”


Em vídeo publicado nas redes sociais nesta terça-feira, o zagueiro Diakhaby, do Valencia, se manifestou pela primeira vez sobre o caso de racismo que sofreu no duelo contra o Cádiz, no último domingo.

Diakhaby confirmou que foi chamado de “negro de m…” pelo adversário Juan Cala. O jogador afirmou que está bem, mas aguarda que medidas sejam tomadas para punir a ofensa.

“Hoje me sinto bem, mas me doeu muito. É a vida, mas espero que a Liga espanhola consiga ter provas para que tudo fique claro e possa tomar atitudes. E quero agradecer ao Valencia, aos meus companheiros, aos meus treinadores e aos torcedores pelo carinho e apoio que me deram. E quero dizer que estou bem. Obrigado”, afirmou.

O Valencia também se pronunciou sobre o ocorrido, reforçando o apoio a seu jogador e o compromisso com o combate ao racismo no futebol e na sociedade.

Confira a nota oficial emitida pelo Valencia:

“O Valencia CF lamenta profundamente as declarações do jogador de Cádiz, Juan Cala, nas quais 48 horas depois nega ter proferido um grave insulto racista ao nosso jogador de futebol, Mouctar Diakhaby, durante o jogo disputado no domingo passado no Ramón de Carranza.

Juan Cala perdeu uma grande oportunidade de aceitar esse erro e pedir desculpas à pessoa afetada. Em vez disso, ele atacou o próprio jogador e outros membros do Valencia CF.

O Valencia CF acredita totalmente no seu jogador e reitera o seu total apoio a ele. Após as ameaças de Juan Cala em sua coletiva de imprensa na terça-feira, 6 de abril, o Clube, seu presidente Anil Murthy e seu jogador Mouctar Diakhaby mantêm intacta sua profunda convicção de lutar onde for necessário e até o fim pelo bem do futebol. O Valencia CF não deixará de lutar pelo aperfeiçoamento da regulamentação e pela luta contra o racismo no futebol e na sociedade”.



Fonte: ESPN