‘O pai tá on’: Neymar comanda indústria da viralização e movimenta redes sociais em dia de decisão

O primeiro jogo da semifinal entre PSG x Manchester City tem movimentado o cenário mundial, e nesta quarta-feira, o atacante Neymar voltou a movimentar as redes sociais com a postagem da hashtag #NeyDay. Ele escreveu: “Vamo que o pai tá on”, e em questão de poucos minutos, já se tornou o assunto mais comentado no Twitter.

> Confira a classificação atualizada da Liga dos Campeões e simule os jogos

Na temporada passada, Neymar havia feito postagem parecida antes do Paris vencer o RB Leipzig, por 3×0, também semifinal da Liga dos Campeões. Na ocasião, ele postou:

– Passando pra avisar que o pai acordou online. Salve pra geral e vamo que vamo… ALLEZ PSG – publicou o atleta. E isso foi o bastante para o craque movimentar um mundo de fãs e seguidores.

O recorde de interações do craque brasileiro aconteceu durante a Copa do Mundo da Rússia, em 2018, quando o nome dele teve 2,4 milhões de interações, isso reunindo comentários, curtidas e compartilhamentos. Em 2020, entre a semifinal e a final da Liga dos Campeões, as menções ao nome de Neymar no Brasil na semana do dia 12 de agosto foi de 2,3 milhões de interações. Os dados foram divulgados pela Buzzmonitor Trends, ferramenta de monitoramento de redes.

– O Neymar é uma mina de ouro, e tudo o que ele fala ou escreve repercute. E essa repercussão não se dá apenas entre os ‘lovers’, mas também entre os ‘haters’. É algo intenso e que fomenta um debate interminável. Ele é uma personalidade que consegue travar uma disputa de milhões de interações e se torna relevante por causa disso. Mais do que um craque, também virou um produto de marketing nos mais variados nichos de público e consegue capitalizar em cima disso – aponta o especialista em marketing esportivo Marcelo Palaia.

Não é de hoje, aliás, que Neymar é considerado o “rei” das redes sociais. Em 2017, quando transferiu-se do Barcelona para o Paris, dados do CrowdTangle mostraram que PSG e Neymar fizeram 38 postagens no Facebook, com 13,8 milhões de interações em apenas uma semana. No Instagram o número também foi alto, com 54 postagens entre ambos e 55,6 milhões de interações. Muitas delas vieram seguidas de frases ou hashtags como “O pai tá On” – essa apenas a última que ninguém sabe de onde começou, mas que viralizaram assim como tantas outras icônicas como “É toys”, “Os parças”, “Menino e Adulto Ney”, entre outras, como destaca outro profissional da área.

– O Neymar é um fenômeno de marca que ultrapassa o limite do esporte. Possui uma força midiática imensurável e é um referência, atraindo parcerias diversas pela forma como se coloca e atingindo milhões de seguidores. É só analisar também os comentários dele em torno do BBB deste ano. Ele forma opinião e as coisas como ele coloca tomam uma proporção que se potencializam desde pessoas comuns até os mais famosos – aponta Renê Salviano, ex-diretor comercial, marketing e novos negócios do Cruzeiro, há mais de 20 anos com experiência no mercado, e lançou recentemente sua própria empresa de mkt esportivo, a “Heatmap”.

​De fato, Neymar é um produto de marketing que gera cerca de meio milhão de reais só com propagandas. Muito desse montante vem por causa das redes sociais e a aparição que essas marcas atingem. Uma pesquisa da Hookit, de 2019, apontou o craque brasileiro como o terceiro com mais engajamento em rede social, atrás apenas de Cristiano Ronaldo e Messi.

A mesma pesquisa mostrou que jogadores de futebol dominaram a interação nas redes graças ao produto esporte. Dos 15 atletas com 100 milhões de interações, nove eram jogadores de futebol, incluindo os cinco primeiros – além do trio citado neste parágrafo, fechavam o Top 5 os atacantes Mbappé e Mohamed Salah.





Fonte: https://www.lance.com.br/