Renovação de Rafinha não alivia e Coritiba vê respiro de mais de R$ 400 mil com saídas; Mattheus Oliveira passará por avaliação



Nesta quarta-feira (28), Coritiba e Rafinha finalmente selaram a assinatura do novo contrato do ídolo no Couto Pereira. A menos de três dias do término do acordo antigo, o camisa 7 aceitou reduzir suas pedidas salariais em ano de Série B e vai permanecer no clube do coração agora até 30 de abril de 2022.



Aos 37 anos, Rafinha é titular absoluto com Gustavo Morínigo e tem sido um dos destaques do Coritiba neste início de temporada. Diferente do ano passado, o meia-atacante vem atuando com mais liberdade, por dentro do campo, e caindo, às vezes, pelas beiradas.

Rafinha já tem um gol e seis assistências – maior garçom do Coxa – em sete jogos disputados, entre Campeonato Paranaense e Copa do Brasil.

“Depois que chegamos aqui, nossa vida mudou completamente. Não só dentro de campo, fora também. A estrutura familiar, tudo o que temos foi o clube que proporcionou. No futebol, eu sou conhecido como o camisa 7 do Coritiba”, declarou Rafinha ao site oficial do Coritiba. O clube postou vídeo dele e dos filhos chegando ao Couto para assinar a renovação. 

Apesar de a renovação de Rafinha ter marcado o dia no Couto Pereira, o clube também pensa no alívio na folha salarial com saídas do elenco de Morínigo. Na ponta da “barca”, Ricardo Oliveira e Mattheus Oliveira (emprestado pelo Sporting), que ganham dois dos maiores salários de todo plantel do paraguaio. 



Há também a chance de Ezequiel Cerutti também deixar o Coritiba em breve, já que tem vínculo até 31 de julho. Segundo o colunista Felipe Bueno, do portal Rede Coxa, se o clube optar por não renovar com o trio, a folha coxa-branca terá alívio de R$ 410 mensais. “Cerutti só fica se aceitar redução significativa e Mattheus passará por análise da comissão técnica. Pastor não ficará”, informou o colega. 

  • Rafinha
  • Coritiba
  • Ricardo Oliveira
  • Cerutti
  • Mattheus Oliveira

Fonte: Bola Vip