Tecnologia: Por conta dos novos termos de privacidade do Whastapp, Defensoria Pública de São Paulo quer impedir nova atualização


Nesta terça-feira (27), a Defensoria Pública de São Paulo pediu uma liminar para impedir a nova atualização do WhatsApp, por conta dos novos termos de política de privacidade, que terá o compartilhamento de dados entre o aplicativo e o Facebook, que agora é o dono aplicativo. Os novos termos estão previstos para entrarem em vigor no dia 15 de maio.

O pedido está assinado pelos defensores públicos Estela Waksberg Guerrini e Luiz Fernando Babi Miranda, coordenadores do Núcleo de Defesa do Consumidor da DP-SP (Nudecon) e ressaltam e pedem que as autoridades apurem se a nova política do WhatsApp está de acordo com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), e até que isso seja concluído, eles querem que a atualização fique suspensa. 

WhatsApp terá novas políticas de privacidade. (Foto: Getty Images)
WhatsApp terá novas políticas de privacidade. (Foto: Getty Images)

Além da Defensoria Pública de São Paulo, o Procon também está incomodado com as novas políticas do WhatsApp, e notificou o Facebook exigindo mais explicações sobre a nova atualização e os termos de privacidade. Eles já haviam recebido essa notificação em janeiro deste ano. 

Mas o que muda com esses novos termos de privacidade? Agora, a empresas que têm contas no WhatsApp Business, a versão mais corporativa do aplicativo, pode juntar informações de cliente usando o Facebook. As informações coletadas são de nomes, números de telefones, dados de pagamentos, entre outras informações anônimas.  O WhatsApp já informou que quem usa o aplicativo deverá aceitar os novos termos para continuar usando a plataforma, caso o usuário não aceite, não poderá mais usar. 

  • Tecnologia
  • WhatsApp
  • Facebook
  • Defensoria Pública de São Paulo

Fonte: Bola Vip